China se recusa a fornecer dados sobre o início da pandemia à OMS

Os dados poderiam ter ajudado a determinar como e quando a doença se espalhou pelo mundo

(Foto: Reprodução/ Gazeta do Povo)

Autoridades chinesa se recusaram a fornecer aos investigadores da OMS (Organização Mundial de Saúde) dados brutos sobre o início da pandemia da covid-19 no país e, consequentemente, no mundo.

No início da pandemia, o país censurou informações sobre a gravidade das infecções pelo novo coronavírus.

De acordo com informações do Wall Street Journal, a intenção da OMS ao requerer as informações seria tentar entender o desenvolvimento da doença nos países.

As informações referem-se aos 174 casos de covid-19 identificados no começo do surto, ainda em dezembro de 2019, na cidade de Wuhan, primeira localidade em que se identificou a infecção.

Cientistas e funcionários do governo chinês teriam entregado resumos e análises de dados sobre as infecções, porém não deram aos agentes da OMS autorização para visualizar os dados brutos e fazerem suas próprias análises.

Caso seja comprovado que a China censurou ou omitiu dados e que isso ajudou o agravamento da pandemia, o país pode sofrer punições das organizações internacionais.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMP vê desproporcionalidade e pede suspensão da VI dos vereadores de Cuiabá
Próximo artigoHotel no Pantanal oferece promoções com diárias de cortesia