Chega de grupos prioritários

Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa entende que o governo federal é o único competente para formular regras de vacinação

(Foto: Reprodução/Marcos Lopes/ALMT)

A Comissão de Saúde, Previdência e Assistência Social da Assembleia Legislativa de Mato Grosso vetou a criação de um plano estadual de vacinação contra a covid-19. Os deputados que compõem o grupo entendem que o Estado deve continuar a seguir o programa do Ministério da Saúde. 

Na terça-feira (4), a comissão rejeitou um projeto de lei, de autoriza do deputado Thiago Silva (MDB), que cria novos grupos prioritários para a imunização. O texto inclui médicos, enfermeiros, policiais (militares e civis), e pessoas que moram ou trabalham em locais com alto risco de transmissão. 

Os deputados entenderam que o Plano Nacional de Imunização (PNI) é responsável pela definição de prioridade para público-alvo, em nível federal, sem autorização de modelo pelos Estados.

Nos últimos meses, vários deputados apresentaram propostas de priorização de pessoas na fila de vacinação. Os membros da Comissão de Saúde e Assistência Social pediram que as propostas parem de ser protocoladas.

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMT já aplicou R$ 1,6 milhão em multas por descumprimento de decretos
Próximo artigoJustiça mantém prisão de dupla que matou empresária em VG