CFM vai pedir a deputados que barrem projeto que simplifica o Revalida

No Senado, o argumento é a necessidade de mais profissionais na pandemia. Conselho, no entanto, garante que não faltam médicos no país

Imagem ilustrativa (Reprodução / Freepik)

O Conselho Regional de Medicina (CFM) começou a se articular junto a deputados federais na tentativa de impedir que o projeto de lei – já aprovado no Senado – que simplifica o processo de revalidação de diplomas de médicos formados no exterior saia do papel.

O principal argumento que os defensores do projeto têm usado é a pandemia do novo coronavírus e a dificuldade de governos e prefeituras de contratar profissionais para a linha de frente de combate à pandemia.

Na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), o processo de revalidação iniciado em 2018 foi suspenso em uma de suas fases por conta da necessidade de medidas de segurança contra a covid-19.

LEIA TAMBÉM

O CFM sustenta, todavia, que não faltam médicos no país. Segundo o conselho, só de janeiro a julho, quase 14 mil novos profissionais entraram no mercado de trabalho.

A entidade também encomendou um levantamento – feito em parceria com a Universidade de São Paulo (USP) – que mostrou que há 523.528 registros ativos de médicos no país.

Desse montante, segundo o conselho, 80% têm idade inferior a 60 anos, o que significa que não fazem parte de um dos grupos de risco para a covid-19.

O CFM não divulgou quantos desses profissionais podem ter comorbidades que os impeçam de trabalhar diretamente com os infectados pelo novo coronavírus.

Ainda assim, de acordo com o Conselho, o Brasil tem uma média de 2,5 médicos a cada grupo mil habitantes, o que é bem semelhante a outros países, inclusive mais desenvolvidos. Supera, por exemplo, o Japão (2,4) e está próximo dos Estados Unidos (2,6), Canadá (2,8) e Reino Unido (2,9).

Para o conselho, o projeto de lei aprovado no Senado “representa uma ameaça à adequada avaliação de competências, habilidades e atitudes no exercício da Medicina”, por isso, se manterá “inflexível quanto a obrigatoriedade de que, para exercer a Medicina no Brasil, qualquer médico deve ter diploma revalidado, estar registrado nos Conselhos de Medicina e ser portador de CRM”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

3 COMENTÁRIOS

  1. O grande problema dos médicos formados no Brasil é que não querem atender a população mais pobre,ou seja, aquela população mais pobre que realmente precisa do serviço do Agora a população tem que cobrar dos deputados para que esse projeto seja aprovado e ACABAR de vez com esse corporativismo doentio.

  2. JÁ ESTAMOS NUMA FASE DE DESENVOLVIMENTO QUE DEPENDE DA MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA E DE SAÚDE DA GRANDE MAIORIA DA SOCIEDADE, A CLASSE MÉDIA/BAIXA E BAIXA (O POVO POBRE) PARA QUE POSSAM DAR A SUSTENTAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO QUE O PAIS PRECISA. SÓ QUE O QUE SE VÊ PELA CLASSE MÉDICA BRASILEIRA (DE FORMA SUBLIMADA/CAMUFLADA) É A DEFESA PELA RESERVA DE MERCADO NA ÁREA. PURO OPORTUNISMO EGOÍSTA DA SITUAÇÃO PARA MANUTENÇÃO DE SEUS INTERESSES EXCLUSOS AOS DA SOCIEDADE E DE SEU PAÍS. ISTO DEVE SER FERRENHAMENTE COMBATIDO PARA QUE POSSA ACABAR E ASSIM O NOSSO PAÍS PODER CONTAR COM A CONTRAPARTIDA DA MAIORIA DE SEU POVO, A PARTIR DE SUA QUALIDADE DE SAÚDE E CONSEQUENTE DE VIDA. O CAPITALISMO NÃO SE SUSTENTA COM A MAIORIA DO SEU POVO VIVENDO ABAIXO DAQUILO QUE SEJA ESSENCIALMENTE NECESSÁRIO PARA O DESENVOLVIMENTO DE UMA NAÇÃO.

    NÃO PODEMOS DESCONSIDERAR QUE O BRASIL É UM PAIS “CONTINENTAL” COM VÁRIAS SITUAÇÕES CARACTERÍSTICAS TÍPICAS/PRÓPRIAS DE CADA REGIÃO.

    NÃO! DE UMA VEZ POR TODAS NÃO! AOS INTERESSES DE RESERVA DE MERCADO DA CLASSE MÉDICA!
    E QUE O CFM E OS CRMs SE ABSTENHAM, DE FATO, A TAL POSTURA QUE NÃO PASSA DE UM ATRASO PARA O BRASIL.

    QUE A CÂMARA COM TODOS OS DEPUTADOS FEDERAIS, DE BEM E QUE REALMENTE TÊM INTERESSE PELO NOSSO GRANDE BRASIL, CUMPRAM COM O SEU ESSENCIAL PAPEL. QUE VOTEM PARA O PROSSEGUIMENTO DA MATÉRIA COM FINS DE EFETIVAÇÃO.

    SAUDAÇÕES A TODAS AS NOSSAS AUTORIDADES PARLAMENTARES.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMãe é denunciada por dar soco no olho da filha de cinco anos
Próximo artigoEmpresas terão que pagar R$ 100 mil após trabalhador morrer soterrado em Sorriso