Centro Político agora tem feirinha

É possível pagar no dinheiro, cartão de crédito, débito e até pix

(Foto: Assessoria)

O Centro Político Administrativo, em Cuiabá, passa a contar a partir desta quinta-feira (16) com uma feira livre. A comercialização de itens produzidos por agricultores familiares de cinco cidades está concentrada em frente do prédio que abriga a Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf) e o Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat).

Na feira, os servidores públicos e demais pessoas que circulam pelo local terão dezenas de opções de frutas, verduras, legumes, folhosas ao preço abaixo do que encontrado em supermercados e redes atacadistas.

O presidente da Cooperativa de Produtores Familiares de Várzea Grande (Coopeveg), Laudêncio Bispo, explica que esse preço atrativo se deve ao fato de serem produtos vindo diretos do produtor, sem passar por atravessadores. “Além disso são produtos frescos e de boa qualidade”, acrescenta.

A ideia de disponibilizar uma feira no Centro Político Administrativo é antiga, segundo o secretário de Estado de Agricultura Familiar, Silvano Amaral. “Por conta da pandemia tivemos que adiar. Com a vacinação no Estado avançando, e a economia voltando a normalidade, queremos ampliar espaço e o números de produtores familiares que aqui passam a vender seus produtos”, planeja o secretário.

Inicialmente, a feira estará disponível três vezes na semana: às quartas, quintas e sextas-feiras, das 8h30 às 17h30.

Na feira são vendidos a produção das cidades de Chapada dos Guimarães, Nova Brasilândia, Várzea Grande, Planalto da Serra e Nossa Senhora do Livramento.

A forma de pagamento desses produtores pode ser via dinheiro, cartão de crédito, débito e pix.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCaixa abre cadastro de corretor e imobiliárias para vendas de imóveis
Próximo artigoDe roupa íntima a joias: Correios vão leiloar 61 mil itens no dia 27