Caso BRT: Emanuel Pinheiro diz empreiteiras não serão “bem-vindas”

Gestor diz que empresários interessados na instalação do modal não terão facilidades por parte da prefeitura

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, indicou que irá dificultar o trâmite dos projetos para a instalação do BRT (Ônibus de Trânsito Rápido, em inglês) na Capital. Ele disse que empresários e empreiteiras interessados na instalação do modal não serão bem-vindos e a aprovação da obra teria que passar “por cima da prefeitura”. 

“Goela abaixo não vai. Isso também é um recado para as empresas que estão sendo convocadas para a licitação. Vocês não serão bem vindos se continuarem forçando a barra. Empresário que cuida do seu patrimônio e zela do que é seu não vai querer entrar numa guerra com o prefeito da Capital”, afirmou. 

O acirramento do prefeito contra o projeto escolhido pelo governo de Mato Grosso ocorre após o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) não reconhecer o decreto legislativo da Câmara dos Vereadores para a realização de plesbicito sobre VLT e BRT. 

O pleno do TRE-MT seguiu por unanimidade o entendimento da Procuradoria Regional Eleitoral de que o município não tem competência para decidir sobre obra projetada em mais de uma cidade.  

Emanuel Pinheiro diz que “a maioria do povo cuiabano quer o BRT”. A rejeição pelo tribunal é mais uma derrota jurídica do prefeito na batalha pela permanência do projeto do VLT.  

Ele teve contestação rejeitada na Caixa Econômica Federal (CEF) e no Ministério do Desenvolvimento Interior, responsáveis pela análise do projeto do BRT. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPSDB de saída (do governo)
Próximo artigoProjeto ao agro