Casas suspensas inovam o conceito de construção vertical do Grupo São Benedito, mais harmonia e aconchego

O mundo vertical dos empreendimentos imobiliários residenciais de alto padrão tem novo conceito pós-pandemia. “Casas Suspensas” faz alusão perfeita dos novos projetos construtivos do Grupo São Benedito, maior referência em construção civil da região Centro-Oeste. O projeto lançado que atende e surpreende neste molde nasce como Harissa, em referência à própria origem libanesa dos fundadores da construtora. Harissa, pode ser vista do alto de uma colina, a poucos quilômetros da capital libanesa, uma bela estátua da Virgem Maria, também conhecida como Nossa Senhora do Líbano.
Para o Grupo o nome escolhido assertivamente tem duplo sentido nesse momento. “Unimos o fato de que o novo conceito de Casas Suspensas inclui no projeto espaços mais amplos que permitem contato maior com a natureza e o lazer, propondo uma integração mais harmoniosa. Estamos acrescentando nos nossos novos projetos todos os itens mais desejados quando o tema é qualidade de vida em um ambiente familiar. E de quebra Harissa completa esta tônica no sentido mais religioso, como a união familiar”, define Amir Maluf, diretor do Grupo São Benedito.
O empreendimento será edificado em uma das últimas áreas nobres do Jardim das Américas, portanto, amplia a valorização imobiliária já pré-existente nesta região, detentora de um dos maiores (IDHs) Índices de Desenvolvimento Humano de Cuiabá. A onipotência e a singularidade do Harissa também se fortalecem com a fachada do empreendimento, tomado por uma tônica contemporânea, majestosamente será vislumbrado por quem transita na Avenida Fernando Corrêa. O projeto ainda inclui muito concreto aparente, vidro e terraços exuberantes, com curvas e retas em seu designer, com 36 pavimentos apenas de apartamentos, pavimentos de lazer, térreo e quatro sobre solos de garagem, totalizando 41 pavimentos, tornando-o uma torre bem alta, no entanto, mantem em seu DNA construtivo o charme de carregar uma imagem moderna, sem abrir mão da aura clássica, que impera nos empreendimentos do Grupo já edificados no Jardim das Américas.

“O Harissa foi projetado durante a pandemia, e a conversão deste empreendimento contempla espaços mais amplos nos apartamentos que tem metragem a partir de 165m². Repensamos a forma de viver neste período, priorizando a convivência, o lazer e os encontros dentro do ambiente familiar. O compartilhamento de momentos especiais e do próprio cotidiano ficou mais amplo e se modificou e nossos projetos se moldam a este novo formato de viver com plenitude em nosso próprio lar”, defende Omar Maluf, diretor do Grupo São Benedito.
O novo empreendimento tem previsão de lançamento ainda no primeiro semestre deste ano, compondo assim um rico conjunto de lançamentos imobiliários do Grupo SB apenas em Cuiabá, representando um dos maiores investimentos do segmento em todo o Estado. “Nosso poderio de investimento ressurge pesado, como havíamos planejado, fomos estratégicos na construção civil, zeramos o estoque dos empreendimentos entregues pela construtora nos últimos seis anos. E agora com terreno fértil para o setor continuar crescendo avançamos novamente, e com projetos inovadores. Estamos ainda atendendo uma forte demanda de quem deseja adquirir imóveis como alternativa de investimento, porem em áreas de excelente localização e com qualidade construtiva. Pois a construção civil é um dos segmentos que estão no topo da liderança quando o assunto é segurança, além de ser rentável, pois a valorização deste bem é contínua, e no momento rentabiliza mais que aplicações bancárias”, explica Mike Maluf, diretor do Grupo São Benedito.
Ainda a inovação com “Casas Suspensas” se completa com Harissa até mesmo num sentido mais espiritualizado, do qual se desenha com tantas modificações globais, comportamentais e uma corrida pela vida com a pandemia da Covid-19. “Harissa não é um mero acaso neste momento de transformação, o templo de Harissa, ou Nossa Senhora do Líbano, é um importante lugar de peregrinação do Oriente Médio, onde o Santuário acolhe diariamente peregrinos de todas as religiões. Ou seja, independe da crença de cada um, escolhemos o fortalecimento da fé, e assim como temos o Grupo São Benedito como marca forte e também religiosa, assim olhamos para o Harissa, pois nosso desejo é que a vida seja feliz e abundante para toda a humanidade, mantendo o exercício cristão em tudo o que fazemos”, finaliza Marcos Maluf, co-fundador do Grupo São Benedito.

O mundo vertical dos empreendimentos imobiliários residenciais de alto padrão tem novo conceito pós-pandemia. “Casas Suspensas” faz alusão perfeita dos novos projetos construtivos do Grupo São Benedito, maior referência em construção civil da região Centro-Oeste. O projeto lançado que atende e surpreende neste molde nasce como Harissa, em referência à própria origem libanesa dos fundadores da construtora. Harissa, pode ser vista do alto de uma colina, a poucos quilômetros da capital libanesa, uma bela estátua da Virgem Maria, também conhecida como Nossa Senhora do Líbano.

Para o Grupo o nome escolhido assertivamente tem duplo sentido nesse momento. “Unimos o fato de que o novo conceito de Casas Suspensas inclui no projeto espaços mais amplos que permitem contato maior com a natureza e o lazer, propondo uma integração mais harmoniosa. Estamos acrescentando nos nossos novos projetos todos os itens mais desejados quando o tema é qualidade de vida em um ambiente familiar. E de quebra Harissa completa esta tônica no sentido mais religioso, como a união familiar”, define Amir Maluf, diretor do Grupo São Benedito.

O empreendimento será edificado em uma das últimas áreas nobres do Jardim das Américas, portanto, amplia a valorização imobiliária já pré-existente nesta região, detentora de um dos maiores (IDHs) Índices de Desenvolvimento Humano de Cuiabá. A onipotência e a singularidade do Harissa também se fortalecem com a fachada do empreendimento, tomado por uma tônica contemporânea, majestosamente será vislumbrado por quem transita na Avenida Fernando Corrêa. O projeto ainda inclui muito concreto aparente, vidro e terraços exuberantes, com curvas e retas em seu designer, com 36 pavimentos apenas de apartamentos, pavimentos de lazer, térreo e quatro sobre solos de garagem, totalizando 41 pavimentos, tornando-o uma torre bem alta, no entanto, mantem em seu DNA construtivo o charme de carregar uma imagem moderna, sem abrir mão da aura clássica, que impera nos empreendimentos do Grupo já edificados no Jardim das Américas.

“O Harissa foi projetado durante a pandemia, e a conversão deste empreendimento contempla espaços mais amplos nos apartamentos que tem metragem a partir de 165m². Repensamos a forma de viver neste período, priorizando a convivência, o lazer e os encontros dentro do ambiente familiar. O compartilhamento de momentos especiais e do próprio cotidiano ficou mais amplo e se modificou e nossos projetos se moldam a este novo formato de viver com plenitude em nosso próprio lar”, defende Omar Maluf, diretor do Grupo São Benedito.

O novo empreendimento tem previsão de lançamento ainda no primeiro semestre deste ano, compondo assim um rico conjunto de lançamentos imobiliários do Grupo SB apenas em Cuiabá, representando um dos maiores investimentos do segmento em todo o Estado. “Nosso poderio de investimento ressurge pesado, como havíamos planejado, fomos estratégicos na construção civil, zeramos o estoque dos empreendimentos entregues pela construtora nos últimos seis anos. E agora com terreno fértil para o setor continuar crescendo avançamos novamente, e com projetos inovadores.  Estamos ainda atendendo uma forte demanda de quem deseja adquirir imóveis como alternativa de investimento, porem em áreas de excelente localização e com qualidade construtiva. Pois a construção civil é um dos segmentos que estão no topo da liderança quando o assunto é segurança, além de ser rentável, pois a valorização deste bem é contínua, e no momento rentabiliza mais que aplicações bancárias”, explica Mike Maluf, diretor do Grupo São Benedito.

Ainda a inovação com “Casas Suspensas” se completa com Harissa até mesmo num sentido mais espiritualizado, do qual se desenha com tantas modificações globais, comportamentais  e uma corrida pela vida com a pandemia da Covid-19. “Harissa não é um mero acaso neste momento de transformação, o templo de Harissa, ou Nossa Senhora do Líbano, é um importante lugar de peregrinação do Oriente Médio, onde o  Santuário acolhe diariamente peregrinos de todas as religiões. Ou seja, independe da crença de cada um, escolhemos o fortalecimento da fé, e assim como temos o Grupo São Benedito como marca forte e também religiosa, assim olhamos para o Harissa, pois nosso desejo é que a vida seja feliz e abundante para toda a humanidade, mantendo o exercício cristão em tudo o que fazemos”, finaliza Marcos Maluf, co-fundador do  Grupo São Benedito.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBateu na trave: Tião da Zaeli alega prescrição para não responder por improbidade
Próximo artigoMotorista de aplicativo luta com passageiro após ele se negar a pagar corrida