Casamento Abençoado reunirá mais de mil casais em cerimônia no dia 10 de outubro

A iniciativa é voltada para casais heterossexuais e homoafetivos com renda total de até três salários mínimos e cadastrados no CADÚnico

(Foto: reprodução)

Mais de 1,1 mil casais de Mato Grosso, que se inscreveram para o Casamento Abençoado, aguardam o momento de obter o sonho da união civil estável. A cerimônia será realizada no dia 10 de outubro, às 16 horas, no Ginásio Aecim Tocantins, em Cuiabá, e reunirá casais heterossexuais de diversas instituições religiosas e também casais homoafetivos.

Cada detalhe do evento foi pensado e preparado pela primeira-dama Virginia Mendes. “A nossa intenção é valorizar a família como um importante pilar da nossa sociedade, priorizando a documentação do casamento no civil para garantir segurança jurídica a estes casais, que muitas vezes deixam de acessar alguns direitos pela falta de certidão de casamento”, destacou a primeira-dama.

O objetivo da ação é oportunizar de forma gratuita aos casais, com renda total de até três salários mínimos e cadastrados no CADÚnico, a segurança jurídica por meio da regularização do casamento, além de possibilitar o fortalecimento da união familiar.

De acordo com a secretária de Assistência Social e Cidadania, Rosamaria Carvalho, todos os trâmites no cartório custeados pelo Estado. “Os casais não terão que desembolsar nada. Isso é importante porque muitas famílias não têm condições financeiras para pagar os custos que giram em torno de R$ 400 a R$ 600 reais”, pontuou.

Mais informações sobre os pré-requisitos e documentos necessários podem ser obtidas nos sites do Governo de Mato Grosso (www.mt.gov.br) e da Setasc (www.setasc.mt.gov.br), ou pelo telefone (65) 3613-5726.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorComando da ALMT: 1 x 1
Próximo artigoDamares em Cuiabá: “Quero dizer pro cara que violenta a mulher que acabou pra você. Nós vamos prender você”