Casal perde R$ 670 mil ao cair em golpe de suposto advogado em compra de fazenda

Polícia Civil conseguiu recuperar R$ 113 mil e devolver para as vítimas

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

Um casal de Roraima foi vítima de um golpe de um suposto advogado e perdeu R$ 670 mil ao comprar uma fazenda em Mato Grosso.

O crime de estelionato foi registrado na quarta-feira (26) na cidade de Cantá (RR), em que as vítimas relataram que sofreram o golpe conhecido como “intermediador de vendas” durante a compra de uma fazenda de 500 hectares.

Para aplicar o golpe, o suspeito se passou por advogado do proprietário da fazenda, dizendo que estava intermediando a venda, uma vez que o dono da propriedade lhe devia honorários, que seriam pagos com o valor da venda. As vítimas que decidiram pela compra da fazenda não moram em Roraima e vieram do Rio Grande do sul para realizar a negociação.

Após análise da documentação da fazenda e conversa com o dono da propriedade, as vítimas fizeram as transferências para cinco contas indicadas pelo suposto advogado, totalizando R$ 670 mil transferidos. Depois de realizadas as transferências, as vítimas descobriram que os valores não foram destinados ao proprietário da fazenda.

Com informações das contas bancárias dos suspeitos, a Polícia Civil de Roraima, por meio da 1ª Delegacia de Boa Vista, entrou em contato com a Delegacia de Repressão a Crimes Informáticos (DRCI) de Mato Grosso que, com a ajuda do setor antifraude do Banco Stone e Sicredi Ouro Verde, conseguiu o bloqueio de R$ 113.021,09 dos valores transferidos pelas vítimas.

Após providências necessárias junto às agências bancárias, os valores serão restituídos para a conta das vítimas. As investigações seguem em andamento pela Polícia Civil de Roraima para identificar e prender os envolvidos no crime.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVagas residuais em universidades
Próximo artigoAlugueis em alta