Casa do Artesão celebra consciência negra com oficinas e bate-papo sobre identidade afro-brasileira

Ativismo está incluído na agenda, com debate sobre desafios e perspectivas da população negra em Mato Grosso

Para exaltar o Dia da Consciência Negra, celebrado nesta terça-feira (20), o Sesc Casa do Artesão dá início a uma semana de atividades voltadas á cultura afrodescendente e seus desafios na atual conjuntura brasileira, e ainda, em Cuiabá. Serão duas oficinas, voltadas ao aprendizado da arte da escultura em madeira e do turbante, e um “bate-papo Grosso” com a pesquisadora e ativista Antonieta Costa sobre os desafios e perspectivas da população negra em Mato Grosso.

O investimento em cada atividade é de 02 litros de leite UHT para o público geral e 01 litro para trabalhadores do comércio. Já a participação no debate é gratuita e não é necessário inscrição prévia.

Inspirados pela beleza das mulheres de sua terra e da natureza, o moçambicano Herminio Nhantumbo irá ensinar técnicas de entalhe na oficina de escultura em madeira, realizada entre quarta e quinta-feira (21 a 23), das 13h30 às 17h30; pré-inscrições aqui.

Herminio é natural da cidade de Matola, Moçambique, e veio para Mato Grosso ensinar a técnica para o povo quilombola, com o objetivo de apresentar mais uma forma de economicamente sustentável, chamando a atenção para a falta de apoio a essas comunidades. Nessa perspectiva, suas obras já passaram pela França, Ilha de União, África do Sul, Swazilândia e no Museu da Imagem e do Som de Cuiabá (Misc).

Herminio Nhantumbo (Foto: Lidiane Barros/OLivre)

A bióloga e ativista Amarantha Tatys, membro do Instituto de Mulheres Negras, irá apresentar as formas de amarração de turbantes, estética que exalta as origens crioulas, das 8h30 às 11h30 de sexta-feira (23); pré-inscrições aqui.

Durante a atividade, Amarantha ainda aborda o histórico e simbologia da prática para o processo de empoderamento da mulher negra. A oficina de turbante também é ministrada por ela em escolas e outras instituições públicas ou privadas.

Encerrando a semana, a pesquisadora referência do movimento negro no Estado, Antonieta Costa debate “Mato Grosso na Década dos Afrodescendentes: Perspectivas e Desafios socioculturais”, no sábado (24), das 8h às 12h. O bate-papo caminha a partir da proposta da ONU de discutir, propor e implementar políticas públicas e ações afirmativas voltadas à diminuição da discriminação racial no país.

“Em Mato Grosso temos uma população de negros e afrodescendentes que atinge cerca de 62% da população, e o debate é uma proposta para se chamar atenção para as lutas e pautas dessa população, pensar em como diminuir a discriminação racial no estado e aumentar o acesso aos bens culturais dos negros e afrodescendentes que aqui residem”, explica a sinopse.

Antonieta Costa

Antonieta é pedagoga e geógrafa, militante do movimento negro há 35 anos, atualmente presidenta do Instituto de Mulheres Negras (IMUNE) e conselheira estadual de educação, membra do Fórum Nacional de Mulheres Negra, ex-presidenta do Conselho Estadual de Promoção de Igualdade Racial (CEPIR) e também conselheira municipal de cultura e especialista em educação integral e educação para relações raciais.

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPrefeita de Sinop pede ajuda após superlotação de UPA; Regional não recebe os pacientes
Próximo artigoPrograme-se: UFMT terá “aulão” de atividades físicas e lúdicas