Cartórios de Cuiabá: piores a cada dia

Na Cuiabá pós-pandemia, o atendimento, que já era lamentável, piorou ainda mais

Cartório de Cuiabá: cadeiras quentes, calor e indignação com os preços de taxas

Não há cidadão brasileiro que não fique estressado só de pensar que vai precisar frequentar essa excrescência chamada cartório, criada para beneficiar algumas famílias privilegiadas e dificultar a vida de todas as demais.

Na Cuiabá pós-pandemia, porém, o atendimento, que já era lamentável, piorou ainda mais. Alguns cartórios estão exigindo o agendamento prévio do serviço, mas quando a pessoa chega para ser atendida ainda fica de 30 a 40 minutos na fila.

Em outros, não há agendamento e a espera é a mesma, em cadeiras do lado de fora, para “não aglomerar lá dentro”. Com o calor além dos 40ºC, o que se vê são mulheres, crianças e idosos suando embaixo de uma lona – e aglomerados do mesmo jeito.

“Sentei nessa cadeira quente e esperei mais de 30 minutos derretendo antes de ser atendido”, disse um despachante, que é obrigado a ir praticamente todos os dias no cartório. “E olha que ontem estava muito pior. Todo dia a gente vê pessoas, que não estão acostumadas, desistindo e indo embora indignadas”.

E quem se acostuma?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNa Semana de Proteção à Fauna, hotel faz campanha promocional para arrecadar alimentos aos animais do Pantanal
Próximo artigoTrânsito: caminhões no Centro e faixas vazias