Caravana da Transformação de Cuiabá custou R$ 13,5 milhões

Foram realizadas 14 mil cirurgias oftalmológicas na edição do evento na capital

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

A 13ª edição da Caravana da Transformação, realizada em abril em Cuiabá, custou R$ 13,5 milhões, conforme relatório elaborado pelo governo estadual e obtido pelo LIVRE. Segundo o documento, foram atendidos cidadãos da região metropolitana e de diversos municípios do Vale do Rio Cuiabá nos 25 dias do evento, na Arena Pantanal.

A maior parte do custo foi com os 116 mil procedimentos oftalmológicos, num total de R$ 11,4 milhões. O pacote inclui consultas, exames e 14 mil cirurgias. Foram 11,9 mil cirurgias de catarata, 1,4 mil yag laser e 740 de pterígio.

Com a estrutura montável, foram gastos R$ 2,1 milhões. Isso inclui tendas, gradis, tablados, geradores, palco, som, ventiladores, contêineres, banheiro químico, alimentação, água e equipamentos.

A infraestrutura de tecnologia da informação custou R$ 2 mil e as diárias para servidores R$ 12,2 mil. Foram 451 servidores envolvidos, porém, o valor com diárias foi menor do que o de outras edições pelo fato de o evento ter sido realizado na capital.

A Caravana da Transformação teve início em julho de 2016 e se tornou o principal evento do governo Pedro Taques (PSDB), levando um pacote de serviços de saúde e cidadania a algumas cidades do interior. O carro-chefe foram as cirurgias oftalmológicas, que também representaram o custo mais alto do programa. Há ainda serviços diversos oferecidos por órgãos e entidades parceiras.

Em novembro de 2017, o LIVRE revelou o custo das cinco primeiras caravanas: foram R$ 14,3 milhões no total, para os eventos realizados em Barra do Bugres, Peixoto de Azevedo, Canarana, Jaciara e São José dos Quatro Marcos.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTRE cassa mandato de José Medeiros e determina posse de Paulo Fiúza como senador
Próximo artigo“Ele disse que acha. Não posso cortar a boca de quem acha”, diz Taques sobre depoimento de Gerson