Captação de órgão realizada em MT proporcionará chance de vida ao paciente de Goiás

Uma família tomou a decisão de doar o rim do ente falecido; retirada do órgão foi mediada pela Central Estadual de Transplantes da SES

(Foto: Divulgação / HSR)

A Central Estadual de Transplantes da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) realizou, neste fim de semana, o processo de captação de órgão em Mato Grosso. A ação foi a primeira efetivada neste ano por meio da equipe estadual. Uma família tomou a decisão de doar o rim do ente falecido, ato que proporcionará a chance de vida a um paciente de Goiás.

O processo para retirada e doação do órgão iniciou na última quinta-feira (04), quando a equipe médica de um hospital particular de Cuiabá notificou a Central Estadual de Transplantes sobre um caso de suspeita de morte encefálica.

A partir de então, a equipe da Central esteve envolvida na realização de todos os exames estabelecidos pelo protocolo para a conclusão do diagnóstico de morte encefálica, condição primária para doação de órgãos. A morte encefálica foi confirmada e a família, em um gesto nobre, autorizou a doação do órgão.

De acordo com a superintendente de Regulação em Saúde da SES, Dúbia Beatriz Oliveira, o órgão foi doado para uma paciente de Goiás que estava cadastrada em fila no Sistema Nacional de Transplante (SNT), à espera de um transplante.

“A Secretaria, por meio da Central Estadual de Transplantes, agradece e parabeniza o empenho de todos os envolvidos. À família doadora, nossos mais profundos sentimentos de gratidão e respeito. Através desse gesto nobre, uma criança terá nova condição de vida e com ela uma família inteira deixará de sofrer a partir desta doação”, diz Dúbia.

A SES tem investido na reestruturação da Central Estadual de Transplantes com ampliação da equipe, implantação da Comissão intra-hospitalar de doação de órgãos e tecidos para transplante e capacitação dos profissionais médicos dos hospitais públicos e privados da capital e interior. Essas ações visam à ampliação do número de captações de órgãos nos próximos meses.

A coordenadora da Central Estadual de Transplantes, Daniely Beatrice, pontua sobre a importância da retomada de captação de órgãos no Estado. Ela explica que a Central auxilia durante todo o processo de captação com objetivo de deixá-lo amplamente conhecido por todos os hospitais do Estado.

“Por meio da captação de rim e outros órgãos, podemos ajudar no andamento da fila de espera nacional para transplantes. Por isso, é muito importante a população entender que somente a doação de órgãos faz a fila andar e mais pessoas poderem, dessa forma, receber o tão esperando transplante”, acrescenta a gestora.

Atualmente, os pacientes de Mato Grosso que precisam de transplante de rim e outros órgãos como fígado, pâncreas e coração são encaminhados pelo serviço de Tratamento Fora Domicílio do Sistema Único de Saúde (SUS) para serem transplantados em outros Estados. Os gastos com locomoção e uma ajuda de custo para estadia e alimentação do paciente são pagos pela SES.

O Estado realiza captação e transplante de córneas. Em 2021, já foram realizados 260 transplantes. Mato Grosso é o 4º Estado que mais realiza transplante de córneas no país. O Estado dispõe de um Banco de Olhos que possibilita a doação de córneas.

(Com informações da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDerrubada da máscara
Próximo artigoConferência na AL: pantaneiros ficam de fora das discussões sobre o Estatuto do Pantanal