“Cantada” e rixa de mais de um ano motivaram assassinato de campeão de fisiculturismo

Nicolas Locatelli se entregou na tarde desta segunda-feira e confessou ser o assassino do atleta

Uma suposta “cantada” na mulher errada teria sido o motivo da rixa que resultou, um ano depois, na morte do campeão mato-grossense de fisiculturismo Marcos Vinicius Pereira Pires de Camargo, 22 anos.

Nicolas Locatelli se entregou na tarde desta segunda-feira (10) na delegacia de Rosário Oeste (100 km de Cuiabá), cidade onde o assassinato aconteceu. Ele confessou o crime ao delegado Henrique Trevizan.

LEIA TAMBÉM

Ao confessar, Nicolas contou detalhes da execução e confirmou a motivação passional para o assassinato. Disse que ele e Marcos se desentendiam desde o começo de 2019, quando o atleta “cantou” sua namorada em um bar.

Ao longo do ano passado, os dois se encontraram diversas vezes em festas de Rosário Oeste e Nobres, onde Marcos morava. Segundo Nicolas, sempre acabavam se desentendendo, trocando ameaças e, muitas vezes, entraram em luta corporal.

Na madrugada deste domingo (9), então, Nicolas foi ao Music Bar, localizado no centro de Rosário Oeste. Ele estava armado e já tinha a intenção de confrontar Marcos.

“E quando se deparou com ele [Marcos], [Nicolas] já efetuou os disparos”, disse o delegado Henrique Trevizan ao LIVRE.

Segundo o delegado, Nicolas disse em depoimento que a intenção ao ir armado ao local era, realmente, encontrar Marcos e, caso houvesse confronto entre eles, matá-lo.

“Quando ele confrontou e efetuou os disparos, era com a intenção de matar, sim”, afirmou o delegado.

Marcos não sabia que naquela noite, seu rival já saiu de casa com a intenção de matá-lo (Foto: Arquivo Pessoal)

A segunda vítima dos tiros, uma adolescente de 17 anos, não tinha nada a ver com a rixa dos dois. Ela acabou atingida por uma bala perdida. Levou um tiro de raspão no ombro, já foi ouvida pelo delegado e passa bem.

Nicolas, que já tem antecedentes criminais, até o momento não tinha nenhuma passagem por homicídio. Ele foi ouvido pelo delegado e liberado, visto que se apresentou voluntariamente e não foi preso em flagrante.

“Agora, vou submeter o caso para apreciação do juiz e ver se ele entende como um caso de prisão preventiva”, disse o delegado Henrique Trevizan.

Sonho interrompido

Marcos iniciou a carreira no fisiculturismo em 2017, em Lucas do Rio Verde. Sagrou-se campeão desde seu primeiro campeonato, na categoria bodybuilding.

Apaixonou-se pelos palcos e, em 2018 e 2019, competiu em campeonatos estaduais e copas em diversas cidades de Mato Grosso. Sempre ficava entre os primeiros lugares do pódio e se destacava com um “shape” impecável.

Agora, se preparava para seu primeiro campeonato fora de Mato Grosso. Iria para Goiânia (GO) e, para arcar com os gastos da viagem, estava vendendo uma rifa. O sonho, no entanto, acabou interrompido.

Em seu velório, nesse domingo (9), amigos levaram seus troféus como forma de prestar uma última homenagem.

Marcos deixa duas filhas, uma de seis meses e uma ainda na barriga da mãe, que está grávida de oito meses.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

4 COMENTÁRIOS

  1. escreveu não leu, o pau comeu, como a rixa era iminente a todo tempo, e as partes sempre se estranharam trocando juras de todas as formas, não seria um “peito de aço” que iria proteger o fisiculturista, inclusive não deveria estar na rua, em várias festas, com a esposa em casa com 2 filhos pequenos … Por outro lado, o homicida não ficará impune ao acontecimento, pois vai responder ao Tribunal do Júri.
    O criminoso já tinha antecedentes, e o fisiculturista se garantindo no seu tamanho acreditou que sempre iria sair por cima da história, foi cantar a mulher do outro e ainda alimentou durante o ano de 2019. Tem muito valentão debaixo da terra, que poderia evitar tragédias como essa.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorConsumo consciente: cuiabanos estão entre os consumidores mais controlados do país
Próximo artigoZerar não; reduzir, talvez

O LIVRE ADS