Candidatos querem continuidade do concurso para PM e Bombeiros

Inscritos avaliam que suspensão coloca o concurso em xeque e defendem que tratamento no teste de aptidão física foi correto

Descontentes com a suspensão do concurso para a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros, um grande número de candidatos inscritos no certame estão se organizando em comissão para desmentir notícias falsas e garantir que os concursos realizados pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) prossigam.

Organizados em uma Comissão de Aprovados Aluno a Oficial -CFO / PM-MT formada por candidatos de Cuiabá, Rondonópolis e Campo Grande, os inscritos defendem que tratamento no teste de aptidão física foi isento e correto.

“A maioria dos candidatos se prepararam de acordo, fizeram todas as provas sem intercorrências, foram aprovados e não gostariam que o concurso fosse suspenso. Os que se sentirem prejudicados têm direito de recorrer, mas que o concurso siga seu cronograma como vem sendo feito, os que conseguirem êxito no recurso farão as provas novamente em momento oportuno”, dizem os representantes que não querem se identificar por medo de serem prejudicados no certame ainda em andamento.

Uma outra candidata lembra que muitas pessoas que estão na disputa não moram em Cuiabá e assim, se prepararam comprando passagens e estadias com antecedência, mas alguns não conseguirão reaver esse dinheiro.

“As pessoas que se sentiram lesadas devem, sim, solicitar providências e buscar esclarecimento. Mas temos que lembrar que estamos em ano eleitoral e muita coisa para, então, corremos dos concursos não serem retomados em breve”, disparou uma representante da comissão organizada por candidatos.

Um outro candidato frisa que o objetivo não é privar os demais do direito de verem as filmagens, algo que, na opinião dele, a UFMT não deveria ter negado desde o princípio.

“É preciso transparência, mas colocar em xeque todo o certame foi irresponsabilidade. Em todo decorrer do período de avaliação, a UFMT, foi solícita e ofereceu condições exemplares de aplicação dos exercícios predefinidos nos editais, especialmente ao referente ao CFO, proporcionando qualidade e atenção aos candidatos, bem como todos auxílios e instruções pertinente à fase”, pontuam.

Os candidatos estão se organizando e ainda não sabem se entrarão com alguma ação na Justiça para garantir a realização da continuidade das provas, mas estão consultando a legislação e buscando alternativas.

Entenda o caso

A Justiça Federal acolheu no último dia 26 de maio o pedido da Defensoria Pública da União (DPU) para que a UFMT apresentasse as filmagens do teste de aptidão física aos candidatos do concurso para a PM e Bombeiro.

O juiz 8ª Vara Federal da Seção Judiciária de Mato Grosso, Raphael Casella de Almeida Carvalho, determinou ainda a suspensão do concurso enquanto todas as providências não forem tomadas, e solicitou que o certame reabra o prazo para recursos administrativos dos candidatos.

O concurso da Polícia Judiciária Civil (PJC) já havia sido suspenso dias antes, também pelo mesmo motivo.

A UFMT confirmou o cumprimento das decisões judiciais, mas ainda não divulgou o novo cronograma do concurso.

As provas teóricas do concurso público das forças de segurança de Mato Grosso foram realizadas fevereiro, e o teste físico neste mês de maio. Ao todo, 66 mil pessoas estão inscritas. O concurso, que foi prometido pelo estado desde 2016, foi realizado para formação de cadastro de reserva. Entretanto, o governo promete chamar 1.200 classificados ainda em 2022.

LEIA TAMBÉM

(Com assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorApós cenas de tortura e assassinato, diretores da PRF são afastados dos seus cargos em Sergipe
Próximo artigoThe Boys e muito mais: confira as estreias de junho na Amazon Prime Video