Candidato denuncia favorecimento a Neurilan e pede suspensão da eleição da AMM

A presidência da AMM está sendo disputada pelo candidato à reeleição, Neurilan Fraga, e pelo prefeito de Araguainha, Silvio José de Morais Filho

Candidato da oposição à presidência da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), o prefeito de Araguainha, Silvio José de Morais Filho (PSD), entrou com uma ação judicial pedindo a suspensão da eleição marcada para esta sexta-feira (7). Ele acusa a comissão eleitoral de agir com parcialidade no pleito, a fim de favorecer o atual presidente e candidato à reeleição, ex-prefeito de Nortelândia Neurilan Fraga (PSD).

“Primeiro fizemos a impugnação da chapa adversária, demonstrando os graves erros que estão sendo conduzidos de forma evidente e grosseira pelo concorrente, mas cuja atenção não está sendo dada pela subserviente comissão eleitoral, que chegou a ameaçar me expulsar da associação”, declarou o prefeito.

Além da suspensão do pleito, Morais Filho pede a substituição dos membros da comissão eleitoral, bem como a anulação da alteração no estatuto da AMM, promovida em março deste ano, com o objetivo de autorizar a candidatura de ex-prefeitos e a reeleição por tempo indeterminado.

Ainda nesta quinta-feira (6), o prefeito também protocolou um recurso administrativo na associação contra a substituição do prefeito de Planalto da Serra pelo prefeito de Acorizal como candidato a 1º tesoureiro de sua chapa, que teria sido promovida pela comissão sem seu conhecimento. A alteração, segundo ele, teria causado prejuízos a sua candidatura, uma vez que gerou mal-estar entre os integrantes da chapa um dia antes do pleito.

“A decisão publicada no Jornal Oficial Eletrônico dos Municípios em 05/12/2018, mais uma vez, é totalmente ilegal, contrária ao princípio da boa-fé, da isonomia e da imparcialidade e, especialmente ao Código de Processo Civil Brasileiro no tocante ao questionamento da representação processual do recorrente”, diz trecho do documento.

O cargo de 1º tesoureiro, inclusive, gerou outra ação judicial, esta protocolada pelo prefeito recém-empossado de Planalto da Serra, Dênio Peixoto Ribeiro, que também pede a suspensão da eleição. Ribeiro sustenta que teria sido impedido pela comissão eleitoral de participar da chapa de Morais Filho.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEx-presidente da Câmara e mais oito são condenados por desvio de quase R$ 8 milhões
Próximo artigoPalácio Guanabara é da União, decide STJ na ação mais antiga do país