Candidata negra é rejeitada em cota de concurso público por ser “bonita”

A decisão acabou sendo revogada pelo Tribunal de Justiça e a concurseira conseguirá garantir sua vaga

(Rebeca/ Redes sociais)

A concurseira Rebeca da Silva Mello, de 28 anos, havia sido eliminada do certame de um concurso que participou porque a banca examinadora considerou que ela era “bonita” e por isso não teria direito à vaga garantida por cota racial.

A decisão acabou por ser revogada pelo Tribunal de Justiça do DF e Rebeca garantirá a vaga.

Ainda de acordo com a decisão do TJ-DF, Rebeca comprovou ser descendente de quilombolas. O desembargador Teófilo Cateano afirma ainda que viu “preconceito” nas afirmações da banca responsável pelo concurso. Para ele, tratou-se de “análise estética”.

A economista foi aprovada para o cargo de técnica administrativa do Ministério Público da União (MPU), cujo salário inicial é de cerca de R$ 7 mil por mês. Rebeca ganhou o processo na segunda instância por 3 votos a 2.

Com informações do portal Uol 

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVídeo | Candidato a vereador do PSOL mostra plantação de maconha em campanha
Próximo artigoKassio Nunes deve ser sabatinado ainda este mês