Câmara de Cuiabá encerra CPI pedindo abertura de outra CPI

Relatório final da CPI dos filantrópicos apontou a necessidade de uma investigação específica na Santa Casa. Requerimento foi assinado por todos os vereadores

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instalada na Câmara de Cuiabá para apurar em que situação estão os hospitais filantrópicos da Capital pede a abertura de uma nova CPI, dessa vez para investigar, especificamente, o caixa da Santa Casa de Misericórdia e os motivos que teriam levado ao fechamento da unidade.

O texto, assinado pelo vereador Chico 2000 (PR), foi protocolado na manhã desta terça-feira (26), durante a sessão plenária. De acordo com o parlamentar, o único outro apontamento que o relatório faz é pela necessidade de intervenção na administração da Santa Casa, pedido que já foi apresentado ao prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) e rejeitado.

Em discurso na tribuna, Chico 2000 argumentou que a nova CPI é necessária porque os trabalhos da CPI dos filantrópicos foram feitos com base em balanços financeiros já consolidados. Agora, os vereadores querem acesso aos dados atualizados do financeiro da Santa Casa. A ideia é descobrir quanto de dinheiro público a instituição recebeu e onde esse recurso foi efetivamente aplicado.

“A CPI detectou um quadro financeiro extremamente negativo. Um prejuízo acumulado de R$ 72 milhões. Só em 2018, foram R$ 22 milhões em prejuízo. Além disso, tem quatro folhas salariais atrasadas e o 13º dos funcionários”, pontuou Chico 2000, destacando que a proposta agora é encontrar os culpados pelo rombo e puni-los.

O vereador Toninho de Souza (PSD) também foi à tribuna defender a instalação da nova CPI. Usou como argumento a afirmação, segundo ele, de um dos ex-diretores da Santa Casa, de que o hospital acumulou, nos últimos seis anos, cerca de R$ 100 milhões em dívidas.

“O Saboia esteve aqui e disse que a Santa Casa foi entregue por ele sem nenhuma dívida bancária e sem nenhum apoio de emendas parlamentares e empréstimos”, disse o vereador em referência ao ex-diretor do hospital, o médico Luiz Fernando Saboia. “Em 6 anos, com emendas, com apoio, a Santa Casa entrou nessa dívida de R$ 100 milhões. A CPI tem que trazer essa verdade à tona. Foi má gestão ou houve coisa mais séria?”, completou o vereador.

Seriam necessárias nove assinaturas para que a nova CPI fosse aprovada, mas o requerimento conta com o aval de todos os 25 vereadores. Toninho de Souza, primeiro a assinar o pedido é quem vai presidir a investigação. O relator e o membro devem ser definidos na manhã de quarta-feira (27), em reunião já convocada pelo presidente da Mesa Diretora, Misael Galvão (PSB).

*Atualizada às 10h42

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMendes mantém multa e anulação de contrato
Próximo artigoEleição escolherá nova diretoria