Calamidade financeira: Estado poderá renegociar dívidas e receber o FEX

Governo ganhará mais fôlego para pagar as dívidas dolarizadas, por exemplo

(Foto: Assessoria)

A decretação do estado de calamidade financeira em Mato Grosso permitirá ao governo estadual renegociar a dívida dolarizada, além de dívidas da Copa do Mundo e do programa de asfaltamento MT Integrado. Com isso, além de acelerar a chegada de recursos federais, como os cerca de R$ 500 milhões do Auxílio Financeiro de Fomento às Exportações (FEX) e verbas pendentes da Saúde, o governo ganhará mais fôlego para pagar as dívidas – que no total somam R$ 5 bilhões.

“Renegociar essas dívidas é fundamental, porque só o FEX não vai resolver o problema do Estado”, avaliou o deputado estadual José Domingos Fraga (PSD).

Parte da dívida do estado já havia sido renegociada com o Teto de Gastos aprovado em 2017, principalmente empréstimos junto ao Banco do Brasil e ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O estado de calamidade permitirá também que o governo priorize pagar dívidas que considerar essenciais, furando a fila de pagamento dos restos a pagar, que deveria seguir a ordem cronológica. Entre elas, dívidas com alimentação do sistema prisional e viaturas das polícias Civil e Militar.

Zé Domingos, que inicialmente era contra o decreto por considerar uma medida muito extrema e que poderia afetar a confiança dos investidores, mudou de ideia e agora apoia a medida. Outros deputados ouvidos pelo LIVRE acreditam que a medida não terá dificuldades de aprovação no Legislativo.

O governador Mauro Mendes (DEM) confirmou, na noite de quarta-feira (16), que enviaria o decreto de calamidade para a Assembleia Legislativa nesta quinta-feira (17). Ele anunciou a decisão depois de reuniões com o governo federal em Brasília, inclusive o ministro da Economia, Paulo Guedes.

LEIA TAMBÉM

Estado de MT gasta 70% do orçamento com funcionalismo e previdência

Em meio a protestos e gás de pimenta, deputados aprovam restrição da RGA e novo Fethab

Mauro não terá dificuldade para aprovar projetos

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. QUANDO VAMOS INVESTIGAR OS R$20 BILHÕES EM FRAUDES DO GOVERNO TAQUES? Não se pode esquecer de apurar e recuperar todos os desvios e fraudes do desgoverno pedro taques da transformação do estado em caos e roubalheira, os quais juntos já SOMAM $20 BILHÕES. Só para lembrar aí vai a lista detalhada dos $20 bilhões: R$69 milhões em desvios na caravana da transformação; perdão de R$645 milhões em dívida da petrobrás; perdão de R$5 milhões de reais em dívidas da unimed cuiabá; a operação Rêmora por desvio de R$57 milhões na SEDUC; operação Bereré por desvio de R$30 milhões no Detran; operação Grampolândia na segurança pública usada para chantagear adversário; delação de Alan Malouf sobre Brustolin e vários secretários com R$50 mil/mês por fora; mensalinho R$100 milhões por dentro para os deputados; rombo de R$4 bilhões no caixa e desvio de $230 milhões do fundeb; desvio de R$1,2 milhões no fundo de trabalho escravo; desvio e apropriação de R$300 milhões dos municípios; desvio e apropriação de R$300 milhões dos poderes; aumento de $2 bilhões nos Incentivos Fiscais; aumento de milhares de cargos políticos comissionados, aumentou da folha de pagamento pela contratação de mais de 10.000 pessoas; uso da justiça para proteger seus amigos e secretários conforme disse o cabo gerson; delação de Alan Malouf tratando de 12 tipos de corrupção entre elas os $10 milhões de caixa 2 administrados por Alan Malouf e Julio Modesto; licitação irregular de 11 bilhões para transporte interestaduais; desvio de R$58 milhões em pontes na SINFRA; $300 milhões em vantagem cobrada de quem recebeu antecipado no decreto do bom pagador; crédito de R$100 milhões para o primo Paulo Taques; maracutaia com a juiza candidata para ferrar o silval e a familia dele. Além disso, apropriação indébita de R$70 milhões descontado dos salários dos servidores públicos para pagar empréstimos consignados e estouro da folha pagando vantagens para apaniguados políticos.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFlor da Vida e Casa Cuiabana realizam evento cultural beneficiente
Próximo artigoMovimentação de cargas cresce 60% no Aeroporto de Cuiabá em 2018