Cadê o recibo das placas?

Secretário Bustamante não encontrou recibo de placas do MPE

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

“Você tem cópia do seu talão de cheque de 2010?”, perguntou o secretário de Segurança Pública (Sesp), Alexandre Bustamente, na rádio Jovem Pan FM, em Cuiabá. A pergunta faz alusão a um recibo referente a duas placas Wytron, que eram do Ministério Público de Mato Grosso (MPE) e foram cedidas à Sesp em 2010.

O caso veio à tona depois que militares, investigados pelo esquema da Grampolândia Pantaneira, afirmaram em juízo que o núcleo clandestino de escutas telefônicas instalado dentro da Polícia Militar, utilizou placas do MPE para a atividade ilegal. Informaram ainda que as placas teriam sido doadas por um ex-procurador-geral.

Depois da denúncia, o MPE passou a investigar o fato e revelou ter encontrado um termo de cessão das placas, assinado em 2010. No entanto, os equipamentos deveriam ter retornado ao órgão seis meses depois.

Conforme o secretário Bustamante, que era adjunto na época da doação das placas, a Sesp não encontrou o recibo dessa doação. Por isso, ele pediu que o procurador-geral, José Antônio Borges, envie uma cópia do recibo do Ministério Público. O objetivo é descobrir quem recebeu o equipamento e, assim, descobrir onde estão as placas.

“Na parte da Secretaria de Segurança Pública, não consegui achar o recebo. Mas as buscas ainda estão continuando. Nós estamos falando de coisas de 2010. Você tem cópia do seu talão de cheque de 2010? Não. Esse é o grande problema que se tem hoje, saber quem recebeu”, comentou em entrevista na rádio, na manhã desta quinta-feira (15).

Saiba mais sobre o assunto clicando aqui

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorComida oriental vegana, MPB e “Roleta Russa” são as novidades do Santô
Próximo artigoPL que prioriza cobertura de telefonia móvel nas áreas rurais é aprovado em comissão

O LIVRE ADS