Caçadores de recompensa: deputado quer que Estado pague quem denunciar crimes

Para ele, pagar a recompensa sai mais em conta que os prejuízos causados por ações criminosas

Ilustrativa/Pixabay

Algumas testemunhas ficam acuadas ao presenciar ou ouvir confidências sobre crimes e, por medo, preferem ficar caladas. Esse comportamento pode dificultar o trabalho da polícia e, segundo o deputado estadual Silvio Fávero (PSL-MT), onerar também o Estado.

Pensando em incentivar a denúncia, ele apresentou o Projeto de Lei nº 735/2019 que permite o pagamento de recompensa em dinheiro para quem colaborar com investigações de crimes. E, se necessário, que o denunciante seja inserido no sistema de proteção a testemunhas.

Para ele, pagar a recompensa sai mais em conta do que os prejuízos causados por ações criminosas.

“É melhor prevenir do que remediar. Acredito que as recompensas em dinheiro elevarão os números de casos solucionados em Mato Grosso”, defendeu Fávero.

Pelo seu projeto as despesas correrão por conta de dotações orçamentárias da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT).

Se aprovada a proposta, o Poder Executivo Estadual regulamentará as formas de recompensa, além de definir as condições a serem observadas para efeitos da respectiva concessão, à repressão à investigação de crimes como contrabando, tráfico de drogas, violência infantil, ao idoso, à mulher, pedofilia, exploração sexual, trabalho infantil, trabalho escravo, homicídio e latrocínio, dentre outros delitos.

Segundo o deputado do PSL, os estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Maranhão e Ceará já adotaram essa prática.

(Com assessoria)