Cabo Gerson pode voltar para a prisão

MPE apresentou provas de que o PM esteve em uma casa noturna, em agosto

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Apontado como uma das peças do esquema de grampos ilegais, conhecido por Grampolândia Pantaneira, o cabo da Polícia Militar Gerson Luiz Ferreira Corrêa Junior enfrenta uma difícil situação na Justiça: ele é acusado de ter descumprido medidas cautelares impostas quando foi solto da prisão, no dia 14 de março deste ano.

Inicialmente, o Ministério Público do Estado (MPE) apontou que Gerson teria violado a tornozeleira eletrônica entre os dias 29 e 31 de agosto. Ainda, ele teria sido visto na casa noturna Malcom Pub, localizada na avenida Miguel Sutil, em Cuiabá. Dessa forma, ele teria descumprido medidas cautelares, uma vez que, além do monitoramento, ele foi submetido à regra de não sair de casa no período noturno e finais de semana.

Na semana passada, o MPE anexou uma ficha cadastral disponibilizada pelo Malcom para clientes portadores de armas de fogo, sendo este um documento obrigatório no estabelecimento. Conforme a prova, Gerson assinou a ficha no dia 30 de agosto, sinalizando que esteve no ambiente.

Depois da documentação, o juiz Wladymir Perri, que substitui o juiz Murilo Mesquita na 11ª Vara Criminal de Cuiabá, deu dois dias para a defesa do cabo apresentar resposta sobre o documento. Ele aguarda a manifestação para decidir se, com isso, Gerson volta para a prisão, onde permaneceu por cerca de 10 meses, antes de conseguir a liberdade.

Na Grampolândia Pantaneira, Gerson é apontado como um dos principais operadores do esquema de grampos ilegais, que ocorreu em Mato grosso. Ele foi o último dos cinco réus a ser solto.

Leia também
Cabo Gerson afirma que Paulo Taques ofereceu dinheiro para blindar o primo governador

“Selma sabia que denúncia foi forjada para inserir números em grampos”, diz cabo Gerson

Cabo Gerson diz que precisa explicar melhor os fatos e pede para ser reinterrogado

Cabo Gerson responsabiliza Paulo e Pedro Taques por esquema de escutas

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSegundo turno: saiba tudo sobre apoios, datas, debates e regras da disputa presidencial
Próximo artigoProdução suína em MT deve crescer 67% em dez anos