Cabo eleitoral de Bolsonaro em MT faz sucesso com a política “banha-de-porco”

Ednilson Aguiar/Olivre

nelson Barbudo

Nelson Barbudo ganhou notoriedade com vídeos defendendo a ideologia do deputado Jair Bolsonaro

O pecuarista Nelson Ned Previdente é uma figura pitoresca, com suas longas barbas e um estilo quase caricato. O jeito manso de se mover pela sala e o visual que remete um dia calmo no campo, disfarçam a impaciência e a eloquência do produtor rural quando se trata de criticar a postura de certas figuras políticas. Mas uma delas ele defende: Jair Messias Bolsonaro.

Conhecido como Nelson Barbudo, o produtor rural ganhou visibilidade na internet depois que fez um vídeo defendendo o deputado federal e provável candidato à presidência, de críticas feitas pelo colunista Reinaldo Azevedo. O último vídeo feito contra o colunista tem mais de 83 mil visualizações na página do Facebook do militante.

Do mesmo modo, seu vídeo criticando o único discurso feito pelo deputado federal Tiririca já tem mais de 10 mil compartilhamentos.

Nelson Barbudo é cortejado pelo Podemos, partido liderado pelo senador José Medeiros em Mato Grosso – e que acompanhou Nelson em entrevista na redação do LIVRE.

Ednilson Aguiar/Olivre

nelson Barbudo

Senador José Medeiros e o produtor rural em entrevista ao LIVRE

Nelson Barbudo classifica seu estilo como uma “política banha de porco”, em contraponto ao que ele chama de “política Nutella”. O produtor rural classifica o ex-governador Silval da Cunha Barbosa como um “traidor da pátria” e como um “vagabundo”. “Mas pelo menos pagava salário”, diz.

Silval foi acusado pelo Ministério Público Estadual (MPE) por diversos casos de corrupção e ficou preso por um ano e oito meses. Depois, fechou acordo de colaboração premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR) e devolveu R$ 70 milhões à Justiça. Em sua delação, o ex-governador entregou vídeos de deputados recebendo maços de dinheiro.

“Cada mala daquelas é um monte de caixão em que as mães têm que colocar seus filhos pela falta de atendimento; é um motorista de caminhão morto porque a estrada não foi duplicada; é um produtor rural que quebra”, diz. “Não tem perdão para o Silval”, decreta.

O produtor coloca Bolsonaro como uma esperança de mudança no cenário político representado por Silval e outras figuras. O deputado federal significaria, para Nelson, a garantia de um presidente “cristão, patriota, respeitador da Constituição” e com segurança contra “os comunistas”.

Nos próximos 10 meses, parte da propriedade de Nelson Barbudo está alugada para que ele possa se dedicar a uma única tarefa: militar em favor de Bolsonaro e contra o “plano criminoso de Fernando Henrique Cardoso e Lula”.

Ednilson Aguiar/Olivre

nelson Barbudo

Produtor vê intervenção militar com preocupação

Nelson foi eleitor do governador Pedro Taques (PSDB), mas se diz decepcionado com o governo do ex-membro do Ministério Público Federal (MPF). Morador de Alto Taquari há 35 anos, o produtor reclama da falta de asfalto interligando o município e a cidade de Alto Araguaia, na divisa com o Estado de Goiás, e critica o Governo do Estado pela falta de ação. “São 60 quilômetros que faltam para ligar as duas cidades, que são rota para Goiás, e eles não conseguem terminar”, diz.

Apesar de ser seguidor de Bolsonaro, o produtor rural pondera sobre a solução militar apresentada por parte daqueles que militam pelo pré-candidato à presidência. Para Nelson, uma intervenção dos militares poderia ter “consequências sangrentas”, com possíveis combates armados entre o Exército e “o Movimento dos Sem Terra e a parte comunista do Exército”.

A economia também seria uma preocupação no caso de intervenção. “E se os Estados Unidos param de comprar soja de Mato Grosso? Viraria um caos”, afirma.

O produtor rural é casado e tem duas filhas, uma advogada e outra estudante de medicina veterinária. Nelson já foi vereador de Alto Taquari e sua esposa já foi presidente da Câmara de Vereadores do município. Com o discurso radical, Nelson Barbudo tenta romper os limites do pequeno município e cogita se candidatar a deputado federal.