Buzinaço: empresários protestam contra decreto que impede reabertura de setores

Prefeitura de Cuiabá trabalha com a hipótese de que número de infectados continuará a crescer até o fim de julho

As avenidas de Cuiabá amanheceram nesta segunda-feira (18) – logo mais devem voltar a presenciar um ato parecido – ao som das buzinas de ônibus de turismo e motoristas de vans. Eles protestam contra o decreto municipal que os impede de voltar ao trabalho.

Desde o final de março, diversos setores da economia estão de portas fechadas, dadas as regras do isolamento social para conter o novo coronavírus. A reabertura do comércio, do setor de serviços e da indústria não beneficiou a todos os ramos.

Um caixão foi usado durante a carreata como forma de protesto por comércios que não “sobreviveram” a quarentena

O buzinaço foi aderido por exemplo por donos de academias, bares, restaurantes, feirantes, lojistas de shoppings e motoristas de ônibus e vans de turismo.

A manifestação foi batizada de “ato fúnebre”, simbolizando a morte das empresas e dos empregos que elas geram.

O manifesto pretende chamar a atenção dos governos. No caso do federal, para que estenda a ajuda ao pagamento de salários, acesso facilitado a crédito, redução de impostos.

No caso do municipal, para que o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) adote a reabertura gradativa das empresas que continuam impedidas de voltar a funcionar.

No início da tarde, a carretada retoma as ruas da Capital. Os empresários e funcionários pretendem se vestir de preto e acender velas em frente à Prefeitura para expressar o luto.

LEIA TAMBÉM

Previsão: fim de julho

Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro afirma que trabalha com a hipótese de que, até o fim de julho, o número de infectados pelo novo coronavírus continuará aumentando em todo o país. Diante disso, sustenta que trabalha para evitar que a Capital entre neste cenário.

“Como gestor, enxergo essa situação [dos empresários] com coração partido. Somos solidários com a população e com todas as categorias que, neste momento, estão impedidas de desenvolver suas funções. Entretanto, também como gestor, tenho a responsabilidade de pensar na saúde e na vida de cerca de 700 mil cuiabanos”, argumentou.

Segundo a Prefeitura, a retomada das atividades econômicas continuará sendo feita de forma “gradual e planejada”, com base nos relatórios de comportamento da pandemia do novo coronavírus elaborados pelas equipes técnicas do Município.

“Não vamos abrir ou retomar nenhum setor, se houver um descontrole da covid-19. É o avanço ou contenção da pandemia que define se é possível ou não aplicar essa retomada”, disse o prefeito.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTrezentos presos optam em mudar de vida e são transferidos para novo raio evangélico
Próximo artigoO sucesso da boa impressão

O LIVRE ADS