Brinquedoteca da Santa Casa é desativada; móveis doados acabam destruídos

Espaço havia sido criado por voluntários; material acabou descartado como lixo

Um espaço lúdico, criado para amenizar a dor de crianças que fazem tratamento de quimioterapia na Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá foi desmontado nos últimos dias. Mesas, cadeiras, material didático e armários acabaram jogados, sem condição de serem reaproveitados, nos fundos do hospital filantrópico.

A mobília era fruto de doações incentivadas por uma reportagem publicada pelo LIVRE em setembro de 2018. Na época, Candelária Saboia Ribeiro, coordenadora do departamento de doações da Santa Casa, pedia ajuda para criar um espaço que evitasse a evasão escolar das crianças que passavam longos períodos internadas.

Em maio deste ano – oito meses depois do nascimento da brinquedoteca – o local não só foi desativado, como tudo que estava dentro dele acabou descartado.

De acordo com Candelária, a professora Dionísia, que dava aulas para as crianças em tratamento médico, foi impedida por funcionários de buscar seus livros, pertences pessoais que haviam ficado nas dependências do hospital e o pouco do que restou das doações, que ela queria devolver aos voluntários.

Depois de insistir e ameaçar chamar a imprensa, Dionísia teria conseguido a permissão para pegar os objetos, mas eles já haviam desaparecido.

“Isso é total desconsideração com toda a história da Santa Casa nesses 201 anos. Como se não tivéssemos trabalhado com honestidade e amor”, desabafou Candelária, que prestou serviços ao hospital por 19 anos.

Voluntários que ajudaram a montar o espaço também cobram explicações. A empresária Lais Marina lamentou ao ver as fotos dos móveis abandonados.

“Destruíram um projeto bonito. O tratamento do câncer é doloroso e a intenção da sala lúdica era justamente amenizar o sofrimento dessas crianças. Foram gastos quase R$ 3 mil somente com as mesinhas. Dinheiro de voluntários, sem ajuda de qualquer órgão público”, reclamou.

Intervenção

Desde o início de maio a Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá é administrada pelo o governo de Mato Grosso. O poder público assumiu o controle do hospital após funcionários paralisarem os atendimentos – em meados de março – alegando falta de recursos e salários atrasados.

Procurada pela reportagem do LIVRE para comentar o caso da sala lúdica, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) afirmou que todos os objetos que estavam dentro do hospital foram guardados em um “depósito” e que serão registrados para que “o quanto antes, sejam devolvidos à Sociedade Beneficente Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá”.

“A diretoria da nova unidade estadual ainda informa que, visando ao melhor atendimento da população, a estrutura do hospital contará com três brinquedotecas adaptadas de acordo com as normas estabelecidas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Por fim, a SES enfatiza que todo e qualquer item ligado à Sociedade Beneficente está armazenado em espaço coberto e seguro”, diz outro trecho da nota.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGolpe dos 50% de desconto: Procon orienta sobre fraude em boletos
Próximo artigoAcidente com três carretas causa incêndio e interdita a Serra de São Vicente