Brasileiros participam de feira de alimentos e bebidas em Xangai

Esta semana 53 empresas brasileiras participam da SIAL China 2019, maior feira de agronegócio, bebidas e alimentos do país asiático e uma das maiores do mundo. O objetivo é realizar negócios e expandir a penetração dos produtos brasileiros no imenso mercado chinês e grande parte da Ásia.

“A SIAL China é importante para compreender o mercado chinês e fortalecer o relacionamento com parceiros e fornecedores locais. Trata-se de uma plataforma que permite testar a receptividade dos nossos produtos para o público chinês, realizar contatos de negócios e ver, na prática, o que os principais concorrentes estão realizando para conquistar esse mercado”, disse Igor Brandão, gerente de Agronegócios da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), que organizou a participação brasileira na feira.

“Xangai é um hub (entrocamento) importante para a Ásia, tem um dos maiores portos da região e os empresários brasileiros já são conhecidos por aqui. A China oferece muitas oportunidades no segmento de bebidas e alimentos e nossa presença aqui abre ainda mais espaço para os produtos nacionais neste mercado”, destacou Brandão.

O empresário Paulo da Luz, da Ethic Alimentos, um dos expositores no estande brasileiro, concorda. Ele levou cremes de açaí, cupuaçu e coco para comercializar no mercado chinês, nessa que é a sua terceira participação em feiras com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações. “A oportunidade que a Apex-Brasil abre para nós é muito importante. Sem ela, não teríamos condição de acessar esse mercado e estabelecer contato com vários potenciais interessados em nosso produto”, disse.

Representatividade

Para se ter uma ideia da representatividade chinesa, estima-se que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da China supere 6% ao ano até 2020, e que os gastos totais dos consumidores chineses cresçam 9,1% ao ano, em média, de 2016 a 2020. Esse crescimento será impulsionado pelas classes de renda média-alta e alta, sobretudo os consumidores nascidos nos anos 80 e 90 (millennials), faixa da população mais propensa a experimentar novos produtos.

Além disso, a região de Xangai, onde se realiza ao evento, é uma das Zonas Econômicas Especiais do país e uma das mais populosas cidades chinesas, importante hub para realização de negócios. Estar presente em Xangai significa a possibilidade de estabelecer a operação de distribuição para outras regiões da China.

Depois da participação na SIAL China 2019, parte da delegação brasileira seguirá para a Coreia do Sul, onde 10 empresas participarão da Seoul Food & Hotel, maior feira dos setores no país, que recebeu, em sua última edição, 45 mil visitantes e 600 expositores de 36 países.

As iniciativas combinadas aos mercados chinês e sul-coreano são parte da estratégia da Apex-Brasil de impulsionar a agregação de valor da pauta exportadora brasileira para a região mais dinâmica do mundo, em termos de crescimento do consumo.

* Com informações da Apex-Brasil

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEnem já recebeu 5,8 milhões de inscrições
Próximo artigoDeclarações polêmicas agitaram a semana, do Paiaguás ao Senado