Brasileiros foram os que mais engordaram durante a pandemia, aponta pesquisa

Em média, brasileiros ganharam meio quilo a mais que pessoas de outros países que participaram do levantamento

(Foto: Andres Ayrton / Pexels)

Mais da metade (52%) dos brasileiros engordou durante a pandemia. É o que revela uma pesquisa realizada com pessoas de 30 países pelo Instituto Ipsos. Mas não é só isso. Os brasileiros foram os que engordaram mais.

No restante dos países pesquisados, cerca de 31% da população ganhou peso. A média de quilos adquiridos durante a pandemia foi de pouco mais de 6kg. Já no Brasil, esse número foi de 6,5kg no mesmo período.

A pesquisa apontou possíveis causas desse ganho de peso: 29% dos brasileiros disseram ter diminuído a frequência de exercícios físicos e 14% afirmaram estar consumindo mais bebidas alcoólicas.

Esteticista cosmetóloga Albenita Jalles acredita que o resultado é um reflexo da maneira como os brasileiros abordaram o novo conjunto de circunstâncias trazido pela pandemia.

“Um dos muitos desafios da covid-19 foi a alteração abrupta nas programações do dia a dia. As pessoas começaram a trabalhar em casa, em muitos casos acompanhadas pelos filhos. Além disso, centros recreativos, academias e parques permaneceram parcial ou totalmente fechados, o que também restringiu as rotinas de exercícios. Para muitos, os níveis de estresse e ansiedade dispararam. Cozinhar, comer e beber se tornaram os principais meios de recompensa”, ela diz.

“Quando o ambiente e a rotina mudam, você pode usar isso como uma oportunidade para dizer ‘vou beber em casa’ ou ‘eu mereço me tratar bem nesses tempos realmente difíceis’. Por isso, a mentalidade é tão importante”, ela completa.

Reflexo do estresse

A especialista lembra ainda que o estresse é um potencializador desse ganho de peso, mesmo entre as pessoas que tentaram manter uma rotina mais saudável.

“O corpo sente o estresse e não perde calorias, porque pensa que precisa de energia para fugir ou lutar”.

E sobre tentar recuperar o corpo de antes, ela lembra que o processo precisa levar em consideração a saúde.

“Não se trata de buscar o bem-estar momentâneo, mas o equilíbrio, por isso, é preciso  ajuda de uma equipe profissional: nutricionistas a psicólogos. A obesidade e a compulsão alimentar, por exemplo, têm causas multifatoriais. Logo, é preciso cuidar não só do físico como também do emocional. Entender quais são os seus gatilhos e traçar um plano de ação. Não é uma jornada fácil”.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHomem cancela casamento porque sua noiva não queria cuidar dos 3 enteados
Próximo artigoContra a vontade da família, Gloria Pires assume cabelos brancos