Brasileiros conquistam ouro na Copa Intercontinental de Atletismo

As medalhas vieram no revezamento e também na prova de arremesso de peso

(Foto: Divulgação/Pixabay)

Os brasileiros Darlan Romani, no arremesso de peso, e Vitória Rosa, no revezamento 4×100 metros rasos, garantiram duas medalhas de ouro na Copa Intercontinental de Atletismo, que está sendo disputada na cidade de Ostrava, na República Tcheca.

O catarinense, um dos principais nomes atuais do país na modalidade, ficou perto de bater o recorde sul-americano na segunda tentativa, alcançando a marca de 21m89. Romani ficou a apenas seis centímetros de igualar o melhor lançamento da carreira, feito em maio deste ano, na etapa de Eugene (EUA), pela Liga Diamante.

[featured_paragraph]Com isso, o brasileiro somou oito pontos para a equipe das Américas, na competição entre continentes, realizada a cada quatro anos, que também conta com Europa, África e Ásia-Pacífico.[/featured_paragraph]

O medalhista de prata foi o neozelandês Tom Walsh, que pulou para a segunda posição na última tentativa, com arremesso de 21m43. Já o bronze foi para o polonês Michal Haratyk, com marca de 21m36.

Vitória Rosa, por sua vez, integrou o time das Américas do revezamento 4x100m, que também teve a equatoriana Angela Tenorio, a bahamense Shaunae Miller-Uibo e a americana Jenna Prandini. A brasileira fechou a prova, cruzando a linha de chegada em 42s11.

A segunda colocação ficou com a Europa, que fechou a disputa com 42s55, seguida pela Ásia-Pacífico, com 42s93.

Outra brasileira que participou das provas de hoje (8) foi Andressa de Morais, que ficou na sexta colocação no lançamento de disco, com a marca de 58m44, depois de queimar as duas primeiras tentativas.

O ouro foi para a cubana Yaimé Pérez, também do time das Américas, com 65m30. A croata Sandra Perkovic ficou na segunda posição, com 68m44, seguida pela chinesa Yang Chen, com 63m34.

Após o primeiro dia de competições, as Américas lideram a Copa Intercontinental com 135 pontos. A Europa está na segunda posição, com 123, na de frente de Ásia-Pacífico, com 89, e África, com 74.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorÚnicas peças do acervo índígena do Museu Nacional estão em Brasília
Próximo artigoBope ministra curso de tiros para policiais de seis estados e Bolívia

O LIVRE ADS