“Bolsonaro, eu digo não”: clipe com drag cuiabana viraliza na internet

Sarah Mitch está em um "bad romance" com Bolsonaro: saiba mais!

Na mesma proporção em que o candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) é mitificado, causa aversão em alguns. Ao tempo em que páginas e perfis de apoio à sua candidatura tentam emplacá-lo, há também manifestações contrárias que se multiplicam diariamente. Mesmo em Mato Grosso, onde o deputado federal lidera as intenções de voto, surgem posicionamentos contrários.

Nesta quinta-feira (16) a drag cuiabana Sarah Mitch lançou um videoclipe que promete somar ao hinário de protestos, especialmente junto aos que lutam pela diversidade. Com o diretor e ator André D´Lucca, idealizou um vídeo-protesto que apresenta performance de Sarah a partir de uma paródia que criaram da música Bad Romance, de Lady Gaga: “Bolsonaro, eu digo não”.

“Racista, machista, fascista… ele é homofóbico. (…) Como eu posso votar em alguém que diz que eu não devo existir e que prefere um filho morto a tê-lo parecido a mim?”, diz um dos trechos da música. André fez uma pesquisa dos discursos políticos de Bolsonaro e suas frases efeito. Esboçou a ideia e Sarah arrematou. O resultado pode ser conferido na internet, em sua origem, na página do Facebook e canal do YouTube de Sarah Mitch, crítica contumaz do candidato.

André conta que o clipe foi gravado com orçamento baixíssimo: “R$ 225, em dois dias e com muito apoio e união. Muitas pessoas compraram a ideia e colaboraram conosco”, ressalta.

Personalidades muito conhecidas também aderiram ao projeto, como a atriz Gisele Itiê e a drag Alexia Twister, com quem Sarah Mitch trabalhou, em temporada do programa global Amor e Sexo, apresentado por Fernanda Lima.

Ficha técnica:

Direção: André D’Lucca
Produção Musical: Eduardo Pesente
Dançarinos: Douglas Paes de Barros e Ramer Conde
Cenografia: Jane Klitzke
Assistentes de Cenografia 1: Bruno Brun
Assistente de Cenografia 2: Giorge Almeida
Iluminação: João Paulo – JP

Participações especiais de:

Giselle Itié, Almerinda Lowsbi, Raphael Logam, Alexia Twister, Karry Penysh, Flor de Lis, Diego Striggle, Vinicius Alves, William Heiffer Cardoso, Brunno Queen, John Silva e Ariana Carla. E ainda, alunos da MT Escola de Teatro: Donatello Almeida, Elton Martins, Geovane Rodrigues, Juliana Rosa, Danielle Souza, Sol Ferreira, Maykon Castrovicky, Juliana Graziela, André Ferreira, Jenyffer Reis. O grupo das Mães Pela Diversidade também esteve representado por Josiane Marconi F S. Oliveira, Aline Alves Coelho da Costa, Marinete Alessandra S Pinto e Nilsa Silva, além da criança pela diversidade Ana Sofia Marconi Seixas

Apoio/Locação: Cine Teatro Cuiabá

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

3 COMENTÁRIOS

  1. Mas uma voz que se levanta contra o ódio, a homofobia e o preconceito tão difundido por Bolsonaro na qual seus seguidores aplaudem e difundem dia após dia com acões violentas!! Parabéns!! #DigaNãoAhomofobia!!

  2. Não vejo a hora do Bolsonaro ganhar pra impor respeito em todas as areas, cansada de ter que ficar engolindo tanto lixo, respeito é bom e todas as pessoas de educação e bom senso gostam!

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorOrientações sobre idade mínima na educação infantil saem até setembro
Próximo artigoComeçou!