Bolsonaro critica presidente da Argentina por imposição de novo toque de recolher

O presidente argentino decretou toque de recolher e colocou o exército para impedir que as pessoas saiam de casa

(Foto: Twitter/Direitos reservados)

O presidente Jair Bolsonaro e o presidente argentino Alberto Fernández trocaram farpas pelo Twitter nesta quinta-feira (15).

Bolsonaro criticou as novas medidas de isolamento social obrigatório impostas pelo presidente argentino.

Na noite de ontem (14), o líder socialista que preside a Argentina fez um novo decreto limitando ainda mais a circulação de pessoas.

Desde o início da pandemia, o país vizinho adotou um severo modelo de isolamento social, mas não conseguiu diminuir o número de contaminados com coronavírus – pelo contrário, só aumentou o número de contágio e a taxa de mortalidade.

Exército nas ruas

No novo regulamento, ficou definido um toque de recolher e a presença do Exército nas ruas para impedir a aglomeração de pessoas. A medida foi encarada por alguns como um grave caso de autoritarismo.

Pelo Twitter, Bolsonaro apenas compartilhou um post sobre o decreto do peronista, deixando a entender que não concordava com as imposições.

Já Fernández disse em entrevista a uma rádio local que as medidas decretadas não são autoritárias e que Bolsonaro não entende a Constituição argentina.

“Seria necessário explicar a Bolsonaro um pouco como funciona a Constituição. Primeiro, não há toque de recolher na Argentina, as Forças Armadas não fazem a segurança interna”, disse o socialista.

Veja a publicação 

(Foto: reprodução/Twitter)

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTJ nega pedido para anular processos que apontam desvios milionários em MT
Próximo artigoProjeto quer incluir segmento óptico em lista de serviços essenciais