“Boi voador”: casal compra R$ 2 milhões em gado com cheque sem fundo

A dupla ganhava a confiança dos produtores e vendia os animais em leilões que a fraude fosse descoberta

Da Redação

A Polícia Civil de Mato Grosso prendeu nessa quinta-feira (8) um casal suspeito de estelionato. A dupla, encontrada em Guarantã do Norte (710 km de Cuiabá), é acusada de aplicar um golpe de mais de R$ 2 milhões na compra de cabeças de gado.

O caso foi investigado pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Barra do Garças (510 km de Cuiabá) e foi chamado de “Operação Boi Voador”. É que a compra dos gados era feita com cheques sem fundo.

Segundo as informações da Polícia Civil, um homem identificado como “Vandinho”, de 52 anos, contava com a ajuda de “M.C.S” para o crime. Esta seria a responsável por assinar os cheques que seriam repassados pelo comprador aos pecuaristas.

Conforme o delegado Wilyney Santana Borges, de Barra do Garças, Vandinho primeiro ganhou a confiança dos produtores. Depois ele comprou 500 cabeças de gado em diversas propriedades da região e até mesmo de Goiás.

Na hora da negociação, o casal entregava cheques pré-datados para 30 ou 60 dias. Então os produtores emitiam a Guia de Transporte Animal e nota fiscal como se os animais fossem para arrendamentos rurais da região.

Contudo, os animais não chegavam nas áreas destinadas. O delegado destacou que o gado era levado para leilões, na mesma região. Dessa forma, os estelionatários vendiam os animais antes que a data do cheque chegasse e os valores não fossem compensados.

Para evitar que houvesse uma execução de cobrança na Justiça, o casal ainda transferiu todo o patrimônio que possuía para terceiros. (Com assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGoverno de MT abre inscrições para contratação temporária de professores
Próximo artigoCom base em decisão do STF, Lula pede à Justiça para ser solto

O LIVRE ADS