Black Friday 2017 já tem mais reclamações em relação a 2016

Agência Brasil

Black Friday

Black Friday

O brasileiro incorporou a Black Friday em seu calendário de compras, mas ao mesmo tempo se preparou para não cair em descontos enganosos. Segundo levantamento do Reclame Aqui, até o momento foram registradas 1,374 mil reclamações, um aumento de 16,7% em relação ao mesmo período do ano passado.

O principal motivo é a propaganda enganosa, que atinge 14% das queixas. Divergência de valores e problemas para finalizar a compra também foram reportados.

Para Felipe Paniago, diretor de marketing do Reclame Aqui, “o consumidor está mais preparado e aprendeu a detectar se as ofertas são verdadeiras ou não”.

Ainda de acordo com Paniago, os brasileiros esperavam mais. “Descontos de 50% não aconteceram muito e era o que o consumidor estava esperando. Produtos com 20% são considerados com boa oferta”, diz.

O número de reclamações reportadas ao órgão oficial de defesa do consumidor, o Procon, é mais baixo. De acordo com balanço divulgado pelo Procon- SP, até as 11 horas desta sexta-feira, 24, foram recebidas 160 reclamações.

A empresa B2W Companhia Digital (dona de Submarino, Shoptime, Americanas.com), a Casasbahia.com, Extra.com e Pontofrio.com lideram a lista com 19 queixas (11,88%, cada). Em seguida está a KaBuM!, com 7 reclamações.

O motivo principal é a maquiagem de desconto, ou seja, quando a oferta oferecido sobre o preço do produto ou frete não é real. A indisponibilidade de produtos em estoque foi a segunda maior queixa. Ao todo, o Procon-SP realizou 320 atendimentos entre reclamações e orientações.

(Com Agência Estado)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBlairo passa por cateterismo
Próximo artigoIlan: Brasil passou por teste de estresse real com queda de 8% do PIB