Bezerra quer levar MDB para apoiar Mauro Mendes e puxar Wellington junto

Com perda do MDB e do PSD, candidatura do senador pode ficar inviável

(Foto: Ednilson Aguiar / O Livre)

O presidente do MDB e deputado federal Carlos Bezerra está determinado a levar o seu partido para a aliança do pré-candidato a governador Mauro Mendes (DEM). Atualmente, o MDB está no grupo que sustenta a pré-candidatura do senador Wellington Fagundes (PR) ao governo. A ideia é que, com a perda do MDB, Wellington perca força e acabe compondo com Mendes, em uma grande coligação de oposição ao governo Pedro Taques (PSDB). O plano é derrotar Taques e encerrar as eleições deste ano ainda no primeiro turno.

“Há uma corrente, mais ligada ao Bezerra, que defende apoio a Mauro com objetivo de formar uma única candidatura de oposição. Eles não têm interesse em disputar com Wellington. Eles acreditam que, se o MDB for com Mauro, o Wellington também irá e a eleição terminará no primeiro turno”, disse a deputada estadual Janaina Riva (MDB), nesta quarta-feira (11).

No pacote de negociações com o grupo de Mendes, Bezerra incluiu as eleições municipais de 2020 e a estrutura para os candidatos a deputado do partido nas eleições deste ano. A chapa majoritária está fora da mesa de negociações com o MDB, pois já está pré-montada: Otaviano Pivetta (PDT) deve ser candidato a vice-governador, enquanto Jayme Campos (DEM) e Carlos Fávaro (PSD) devem concorrer ao Senado. O grupo ainda tenta encaixar o pré-candidato a senador Adilton Sachetti (PRB) na composição.

Contrários

Dentro do MDB, por ora, há poucos pontos de resistência ao projeto de Bezerra. Além de Janaina, que é nora de Wellington, o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, que é aliado do senador há muitos anos, discorda dos planos do cacique. Emanuel foi a Brasília hoje e, em meio à agenda institucional, incluiu uma reunião com Wellington para tentar reverter o apoio do MDB a Mendes.

“Eu vou continuar defendendo apoio a Wellington. Nós começamos essa candidatura. O MDB é a base disso tudo, plantamos essa ideia lá dentro. Estava definido dentro do partido que a hipótese de não apoiar a candidatura do Wellington seria considerada apenas se ele não se viabilizasse. Com a candidatura viabilizada, fica muito ruim para o partido deixar a aliança. Não tem desculpas para isso”, afirmou a deputada.

Janaina disse que, se o sogro mantiver a candidatura, ela o apoiará, mesmo se o MDB migrar para o grupo de Mendes. “Se não houvesse a candidatura dele, eu não teria problema nenhum em apoiar o Mauro Mendes. Já conversei com ele, participei de reuniões com o Bezerra. Se Wellington for candidato, mantenho apoio a ele e tenho certeza que o Bezerra vai entender”, disse.

A perda do MDB deve ser o segundo grande golpe na candidatura de Wellington, que já perdeu o apoio do PSD para o projeto de Mendes. O PP também abriu conversações com o pré-candidato do DEM. O PTB e o PC do B compõem o grupo que lançou o senador para a disputa ao governo.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNovo bioestimulante ajuda no aumento de produtividade da soja
Próximo artigoFazenda e BC conversam com economistas de presidenciáveis