Bebê de dois meses morre asfixiado enquanto dormia na cama com os pais

Médicos plantonistas tentaram reanimar bebê por mais de uma hora

Imagem ilustrativa

Um bebê de dois meses morreu na madrugada desta quarta-feira (22) após dar entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), de Sinop (500 Km de Cuiabá), com quadro de parada cardiorrespiratória.

Segundo informações da família, a criança acordou na madrugada chorando muito e foi colocada na cama com os pais. Ao acordar, o casal teria notado que o bebê não estava respirando.

“Conforme os pais relataram, a mãe colocou o bebê na cama, em meio ao casal. Eles voltaram a dormir e quando acordaram o bebê já estava em parada cardíaca. É muito triste esse tipo de ocorrência”, disse o soldado da Polícia Militar, Dimis.

A família reside no bairro Jardim São Paulo, mas, no momento do acidente, estava na residência de parentes, localizada na Comunidade Adalgiza.

Ainda segundo o soldado, ao perceberem a situação, os pais correram com o bebê para a unidade de saúde. “Os pais levaram a criança para a UPA. Lá ela foi prontamente atendida, a equipe seguiu todos os protocolos e não mediu esforços para tentar salva-la”, disse.

Segundo testemunhas, o bebê deu entrada na UPA sem os batimentos cardíacos e com as pupilas dilatadas. A equipe platonista – entre médicos, enfermeiros e auxiliares – permaneceu por mais de uma hora fazendo massagem cardíaca na criança, na tentativa de reanimá-la.

Uma das hipóteses que será investigada pela Polícia Civil é a de que o pai teria dormido acidentalmente sobre o bebê, que dividia a cama com o casal. O homem foi encaminhado à delegacia da PJC para prestar mais esclarecimentos e em seguida foi liberado. O Conselho Tutelar também está acompanhando o caso.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTCE suspende aumento salarial de prefeito e servidores
Próximo artigoSem fraldas para os pacientes, Hospital de Câncer de MT pede doações