Bate-boca encerra sessão e pedido para cassar Emanuel Pinheiro não é votado

Discussão começou após comentário sobre post em que a vereadora Michelly Alencar (DEM) denuncia suposta compra de votos

(Foto: Reprodução)

Presidente da Câmara de Cuiabá, o vereador Juca do Guaraná (MDB) não colocou em votação o requerimento pela instalação de uma comissão processante que poderia culminar na cassação de mandato do prefeito afastado Emanuel Pinheiro (MDB). 

O pedido estava na pauta da sessão desta quinta-feira (4) e ficou para a reta final dos pareceres. Contudo, a sessão foi encerrada após bate-boca entre vereadores da base de Emanuel e da oposição, antes da apresentação do requerimento. 

A oposição diz que ter 10 pedidos de instalação de comissão processante contra Emanuel Pinheiro. Todos seriam baseados em inquéritos policiais que deflagraram operações com foco na Secretaria de Saúde de Cuiabá, por indícios de corrupção. 

LEIA TAMBÉM

A discussão entre os vereadores iniciou após o vereador Sargento Vidal (PROS) comentar, em plenário, um post da vereadora Michelly Alencar (DEM), no Facebook, sobre suposto pagamento por votos na sessão de hoje. 

Ele pediu uma retratação da colega, que quis se defender, mas a fala foi negada por Juca do Guaraná. O presidente disse que Michelly não teria sido ofendida. 

Hoje, 20 dos 25 vereados em mandato fazem parte da base de apoio à atual gestão. Logo no início da atual legislatura, o grupo foi convocados pelo prefeito interino José Roberto Stopa (PV) para impedir qualquer investigação de cunho político contra Emanuel.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMais de 40% dos casos de câncer em Cuiabá, são de próstata
Próximo artigo“Quem empolga as massas são Lula e Bolsonaro”, diz Mourão sobre campanha de Sergio Moro