Banidos pela insegurança: moradores e empresários têm deixado o Centro Histórico

Afastamento provoca desvalorização de imóveis, que ficam expostos à depredação

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

As pessoas estão em retirada do Centro Histórico de Cuiabá. Moradores e empresários estão forçados a deixa os imóveis pela crescente insegurança na região. E boa parte deles passou por alguma experiência de violência. 

“Somente pessoas que estão no Centro Histórico há muito tempo já se habituaram com a situação. De certa forma, entrou num status quo com usuários de drogas e outras pessoas se concentram na região, que virou um reduto. Infelizmente”, diz o presidente do Sindicato de Habitação de Mato Grosso (Secovi-MT), Marcos Pessoz. 

O empresário diz que o problema é de longo tempo e tem agravado nos últimos anos. No estágio atual manter a ocupação dos imóveis é cada vez mais difícil. As placas de aluguel estão espalhadas pelos prédios e o interessado é atraído pelo preço abaixo do mercado (um efeito da situação). Mas é questão de tempo para o pedido de renegociação. 

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Os aluguéis estão sendo negociados, em média, até 50% abaixo do preço que o imóvel valeria. E, mesmo assim, depois de um ano o locador pede para renegociar o contrato e deixa o imóvel”, conta. 

LEIA TAMBÉM

O motivo reclamado é a insegurança. Conforme Marcos Pessoz, é comum que os desistentes tenham passado por algum tipo de agressão, seja de invasão ao imóvel, de confronto na rua ou assalto a conhecidos e funcionários. Esse leque de violência acaba servindo de gatilho para contagem regressiva de saída do Centro. 

Daí adiante, o empresário afirma que os imóveis fechados viram chamariz para a invasão de usuários de drogas. “Dá para contar os dedos de uma mão o tempo que os imóveis ficam fechados até a depredação, uma invasão quase imediata à saída das pessoas do local”, pontua. 

O Secovi diz que não possui um levantamento de quantos imóveis estão disponíveis para aluguel no Centro Histórico, mas confirma que é uma opção mais frequente e mais difícil de negociação.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMaior finalizador da história do UFC, Charles do Bronx quer trazer cinturão para o Brasil
Próximo artigoVacina para 1,9 milhão