Bandidos sequestram família inteira e levam para outra cidade

Familiares foram levados de Tangará da Serra e liberados somente em Campo Novo dos Parecis

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Uma família de cinco pessoas, duas crianças de 9 e 12 anos e três adultos de 30, 54 e 65 anos, foram sequestrados durante um roubo à casa deles, no Bairro Jardim Tarumã, em Tangará da Serra (240 km de Cuiabá).

O crime aconteceu na noite dessa segunda-feira (05) e a família só foi liberada pelos criminosos na cidade de Campo Novo do Parecis, a cerca de 150 quilômetros de Tangará.

Conforme o boletim de ocorrência registrado pela filha do casal mais velho, ela foi até a casa dos pais na noite dessa segunda-feira (05), por volta das 21 horas, e encontrou o portão apenas encostado. Na casa não havia ninguém e todos os cômodos estavam revirados.

O veículo da família, um Fiat Toro de cor bordô, também não estava na garagem e não havia qualquer sinal das cinco pessoas que deveriam estar na casa: os pais da mulher, o filho dela, a irmã e a sobrinha. Inclusive, os calçados dos cinco estavam na casa, o que a fez perceber que eles foram levados às pressas e descalços.

Um vizinho da casa olhou as câmeras externas de segurança da residência dele e viu um veículo VW Fox branco acompanhando o Fiat Toro da família.

A Polícia Judiciária Civil iniciou as buscas à família e aos suspeitos. Segundo a assessoria da PJC, as cinco vítimas foram liberadas horas depois, no município de Campo Novo do Parecis.

O carro da família ainda não foi encontrado e, até o momento, ninguém foi preso.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

2 COMENTÁRIOS

    • Olá, Cesar. A foto é apenas ilustrativa. Em casos de polícia geralmente colocamos fotos ilustrativas, porque escrevemos baseados nos boletins de ocorrência registrados e dificilmente há fotos do local em que o caso aconteceu. Então, colocamos a foto de uma viatura apenas para ilustrar que é uma matéria policial.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHaitianos revertem lucro de bazar para conterrâneo reconstruir comunidade natal
Próximo artigoJunto com o produtor