Bandidos armados invadem fazenda, fazem reféns e roubam objetos

Roubo aconteceu por volta do meio-dia na zona rural da região metropolitana de Cuiabá

Três pessoas foram feitas reféns por bandidos durante assalto a uma fazenda, nesta quinta-feira (23), na zona rural de Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá).

Conforme a Polícia Militar, cinco homens armados invadiram a sede da Fazenda Vale Verde por volta do meio-dia. Eles amarram e trancaram os moradores em um quarto.

Um morador foi levado pelos bandidos na fuga e mantido em cárcere privado por uma hora.

Junto com ele, os bandidos levaram dois carros de passeio, um quadriciclo, duas motosserras, uma motobomba, duas TVs (14 e 43 polegadas), duas roçadeiras e uma furadeira.

A Polícia Militar informou que os bandidos chegaram a pé à sede da fazenda com pistola, revólver e espingarda em punho. Eles renderam os moradores e os trancaram, enquanto praticavam o roubo.

Na fuga, pegaram uma vítima como proteção. Ela foi colocada um Corsa, onde também estavam os objetos eletrônicos roubados.

Quando policiais chegaram à fazenda, após recebem denúncia via Ciosp (Centro Integrado de Operações de Segurança Pública), três suspeitos estavam em um Gol, se preparando para deixar a fazenda.

Ao verem os militares, eles teriam saído do veículo e fugido a pé. No carro, foram encontradas seis espingardas de três calibres diferentes.

A PM informou foi preciso perseguir os assaltantes por cinco quilômetros de mata, com auxílio do Ciopaer (Centro Integrado de Operações Aéreas). Ainda assim, nenhum suspeito foi preso.

Na busca, entretanto, os policiais encontraram a vítima que tinha sido levada como refém. Ela contou que os suspeitos aguardavam um sexto comparsa, que estaria parado em algum ponto da região em uma caminhonete Hilux.

Os objetos levados pelos bandidos foram recuperados. O caso foi registrado na Central de Flagrantes.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMinistério continua “inteiro”
Próximo artigoGoverno federal quer mudar a forma de reajustar o salário mínimo

O LIVRE ADS