Balanço de 2020: Gefron apreende 14 toneladas de droga na fronteira

Dados de janeiro a 30 de novembro apontam para alta de 119% em comparação com 2019

(Foto: Divulgação)

Com resultado positivo nas principais ocorrências de 2020, no período de janeiro a 30 de novembro, o Grupo Estadual de Segurança na Fronteira (Gefron) apreendeu 14,1 toneladas de drogas. Em comparação com o ano de 2019, quando foram apreendidas 6,4 toneladas, o volume atual apresentou alta de 119%.

O número de carros recuperados e apreendidos também aumentou: foram 309 este ano e 247 no ano anterior.

Ao todo, foram registradas 313 ocorrências na região de fronteira, que também unem esforços de outras forças policiais. Além das apreensões de droga, elas envolvem também armas, dinheiro e prisões.

Em 2020, também houve registro de apreensões de R$ 231 mil em moeda nacional. Já o número de aeronaves apreendidas saltou de duas para 11 este ano, além do aumento de apreensão de munições, que foram 1.072 no ano anterior para 1.904 em 2020.

Ao todo, foram 61 armas apreendidas e 35 pessoas presas por ordem judicial. Outras 442 pessoas foram encaminhadas, sendo 418 brasileiros e 24 bolivianos.

Do balanço feito pelo Gefron, com base no Sistema de Registro de Ocorrências Policiais (SROP), apenas contrabando e apreensão de moeda estrangeira tiveram redução. As forças policiais apreenderam 29.950 kg de contrabando de produtos no ano passado e 3.625 kg este ano. Já a apreensão de moedas estrangeiras (em dólar) caiu de US$ 128.530, 00 para US$ 32.031,00.

Contudo, totalizando as apreensões das moedas estrangeiras e nacionais, convertidas em valores atuais, conforme cotação do dólar em 30 de novembro de 2020 (R$ 5,34), o montante tirado de circulação chega a R$ 1.598.310,54.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVerba indenizatória
Próximo artigoTJMT manda para prisão domiciliar homem acusado de matar advogado