Baixaria era “cortina de fumaça”

Vereador chamou o colega de "cão de guarda" e ouviu que era "veado"

Emanuel Pinheiro interfere
(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Depois que diversos veículos de comunicação noticiaram uma troca de ofensas registrada durante sessão extraordinária da Câmara de Vereadores em Cuiabá, na tarde de quinta-feira (20), o vereador Diego Guimarães, envolvido no escândalo, gravou um vídeo para dizer que tudo não passou de uma “cortina de fumaça”.

“O que me preocupa não é o termo pejorativo utilizado, mas a cortina de fumaça que é criada em torno disso”, explica no vídeo.

De acordo com o parlamentar, a discussão acalorada teria se instalado para tirar o foco dos parlamentares quanto a diversos projetos que teriam sido enviados pela Prefeitura de Cuiabá nos últimos dias, e que tramitaram na Câmara em caráter de urgência.

O objetivo, segundo Diego, seria impedir que os vereadores pudessem convocar audiência pública para debater a importância dos projetos de lei com a população. Como exemplo, citou o empréstimo de US$ 115 milhões de dólares, o que se equivaleria a cerca de R$ 420 milhões, para financiar o programa Cuiabá 300 anos. O projeto havia sido entregue no parlamento um dia antes.

“Não fui eleito para ser soldado do poder Executivo, mas para representar os interesses do povo cuiabano”, frisou.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorÔnibus articulados passam a circular em Cuiabá no primeiro dia do ano
Próximo artigoInep divulga dados detalhados do Enem por escola