Bactéria do pantanal pode ser solução no combate ao aedes aegypti

Pesquisadores da UFMT e outras três faculdades estão desenvolvendo o larvicida, que é visto como esperança no combate à doenças

(Foto: Pixabay)

Pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) desenvolveram um produto que combate as larvas do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zikachikungunya e febre amarela.  O larvicida é visto como uma promessa no combate às doenças, que tornaram-se endêmicas em Mato Grosso e outros estados do Brasil.

A manipulação é feita a partir de bactérias Bacillus spp, que produzem compostos tóxicosConforme o grupo de estudo, esse tipo de bactérias é diferente de outros microrganismos disponíveis no mercado para controlar as larvas. As Bacillus spp, conhecidas como Bacillus paranthracis, Bacillus safensis e Bacillus velezensis, não afetariam outros insetos e organismos que vivem no solo ou na água.

Criadouro do mosquito Aedes aegypti localizado nos fundos de uma casa (Tânia Rêga/Agência Brasil)

Os pesquisadores identificaram essa bactéria em algumas áreas de Mato Grosso, como o Pantanal, o que pode significar melhor condução dos estudos com manipulação mais variada. 

“Os resultados confirmam a necessidade de preservar esse bioma e o incentivo de pesquisas na busca de microrganismos pantaneiros”, afirma o professor e líder do grupo de pesquisa “Ecologia e Biotecnologia Microbiana e de Endofíticos”, Marcos Antônio Soares. 

O trabalho liderado pela UFMT tem colaboração de pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal de Viçosa (UFV) e Embrapa Amazônia Ocidental.

Leiam também:

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBrasil deve participar do teste de spray nasal contra a covid-19
Próximo artigoBares são multados e carros recolhidos na primeira noite de carnaval em Cuiabá