Avallone diz que Tebet tem cenário mais favorável que Dória

Presidente do PSDB em Mato Grosso diz que a senadora tem rejeição menor, mas terá que vencer fragmentação dos tucanos

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Presidente do PSDB em Mato Grosso, o deputado estadual Carlos Avallone diz que o apoio do partido à candidatura à Presidência da República da senadora Simone Tebet (MDB-MS) pode ser um melhor cenário do que seria o lançamento o ex-governador João Dória (PSDB-SP) ao cargo. 

O trunfo dela seria o baixo índice de rejeição pelos eleitores, o que a tornaria uma melhor opção de “terceira via”.

A executiva nacional do PSDB anunciou nessa quinta-feira (9) o apoio a Tebet. 

“O Dória estava com adesão muito baixa e, ao mesmo tempo, conseguia ter rejeição maior do que as de Bolsonaro e Lula. A Simone tem um índice de adesão ainda baixo, mas não tem a rejeição. Então, isso pode ser algo a favor dela, principalmente em Mato Grosso, já que ela é sul-mato-grossense”, afirmou. 

O nome da senadora entrou mais no holofote dos presidenciáveis com a desistência de João Dória da disputa. A decisão do ex-governador expôs a fragmentação dos filiados ao partido em Mato Grosso. Na ocasião, Avallone chegou a dizer que o futuro do grupo era incerto. 

Ele reconhece novamente a situação e diz que será necessário trabalho para reverter o quadro, mesmo com uma avaliação mais positiva de Simone Tebet. 

“O partido está muito fragmentado, tem aqueles que estão mais com o Lula, outros que estão mais com Bolsonaro… na política é assim. Teremos que fazer muito trabalho para convencê-lo [a apoiar a candidatura do MDB]”, afirmou. 

O PSDB deve indicar um nome para vice de Simone Tebet. A cotação é para o senador Tasso Jereissati. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCorte Especial do STJ determina devolução de relógios e joias de Novelli
Próximo artigoCasos de covid-19 crescem 94% nos hospitais privados, diz associação