Autoestima resgatada: esteticista reconstrói seios de mulheres com vitiligo e vítimas de câncer

O tratamento gratuito foi uma das maiores conquistas de Nagila Silva, neste ano

Esteticista Kelly Vieira faz reconstrução da mama com micropigmentação (Foto: Arquivo Pessoal)

Nagila Silva, 28, viu sua autoestima diminuir há 3 anos, quando perdeu a pigmentação de sua aréola. Desde os 18 anos ela convive com o Vitiligo – patologia que provoca a despigmentação da pele, tornando-a branca -, mas a condição passou a afetá-la emocionalmente quando atingiu seus seios.

Corretora de seguros, ela tinha acabado de começar um relacionamento. A mudança no tom de pele começou aos poucos e, em cerca de dois anos, já tinha modificado 70% da mama. O marido nunca comentou a aparência. Ainda assim, Nagila se sentia incomodada.

Com outras partes do corpo esbranquiçadas, Nagila passou por um tratamento, mas não conseguiu retomar a pigmentação na aréola.

“É uma região que não é habituada a pegar sol, então, não melhor nada. A pigmentação é muito lenta”, contou.

Foi aí que ela soube de um procedimento que poderia ajudá-la a recuperar a autoestima: a micropigmentação paramédica, técnica também bastante usada por mulheres que tiveram câncer de mama e precisaram reconstruir o seio com próteses de silicone.

Mas de encontrar a solução levou cerca de um ano. A corretora passou a monitorar diversos profissionais pelas redes sociais e chegou a cogitar viajar para outro Estado.

“Eu estava preocupada de fazer com um profissional que acabasse de vez com a minha  autoestima”, explicou.

No meio desse processo, ela conheceu a esteticista Kelly Vieira.

Gaúcha, Kelly se mudou para Mato Grosso há três anos. Há dois, oferece – de forma gratuita – a micropigmentação para reconstrução de aréolas de mulheres com vitiligo ou vítimas de câncer de mama.

Desde que começou com o serviço, ao menos 30 mulheres já passaram pelas mãos da esteticista. Entre elas Nagila, que fez o procedimento no dia 16 de outubro.

Kelly descobriu a possibilidade de atuar na área depois de fazer um curso de paramédica. Desde então, oferece seus serviços, mas afirma que ainda tem dificuldades para fazer a  divulgação.

“Pouca gente sabe que é possível e que é um trabalho gratuito”, disse ao LIVRE.

Segundo a esteticista, o procedimento é feito durante todo o ano, mas se intensifica na campanha Outubro Rosa.

A micropigmentação

Segundo a esteticista, a micropigmentação é como uma tatuagem, mas atinge apenas as camadas superiores da pele. Por isso, dura cerca de dois anos e precisa ser retocada.

Para fazer o procedimento, não é necessário nenhum tipo de preparação da pele, mas a cliente deve apresentar um laudo médico, autorizando o trabalho.

Quanto à dor, a profissional revelou que pode haver um leve desconforto durante o procedimento, ainda que sejam usados anestésicos na região.

Conforme a esteticista, mulheres que têm cicatrizes nos seios não costumam ter muita sensibilidade na área. Não foi o caso de Nágila. Mas ela, que tem diversas tatuagens, considerou a dor suportável.

Nos cuidados pós-tratamento, a recomendação é não se expor ao sol, além de não usar outros produtos que não a pomada indicada.

Depois de 30 dias, também é necessário retornar para uma avaliação do desenho e tonalidade. Se necessário, uma nova aplicação pode ser feita.

Vida impactada

Kelly revelou se sentir privilegiada em contribuir com a autoestima das mulheres. “É um trabalho incrível, com muito amor envolvido, você poder estar tocando outra pessoa no mundo dela”, disse.

Do outro lado, Nagila garantiu não ter se arrependido. “Foi uma das minhas maiores conquistas pessoais desse ano. Na verdade, foi um presente, porque ela me deu”.

E o marido também. “Eu acho que ele fica pensando que, se falar alguma coisa de vitiligo, ele ia me magoar. Quando eu fiz, eu vi que ele percebeu, mas não falou nada. Então eu toquei no assunto. Falei que tinha ganhado e aí ele se abriu, disse que ficou muito bonito”.

Kelly atende no Espaço Living e as interessadas podem encontrá-la pelo telefone: (65) 3359-7555 ou (65) 9 9922-6750.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS