Augusto Nunes: Taques viveu uma das mais breves e enganosas carreiras políticas

O nome em ascensão que chegou ao Palácio dos Paiaguás em 2015 é hoje apenas fração do que foi um dia

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Após uma passagem bem sucedida pelo Senado, um nome em  ascensão chegou ao Palácio dos Paiaguás em 2015: Pedro Taques era considerado algo novo, possivelmente uma futura estrela nacional. 

[featured_paragraph]“Pedro Taques era um nome praticamente certo para candidatar-se pelo menos a vice-presidente da República”, lembra Augusto Nunes, em sua vídeo-coluna no LIVRE. [/featured_paragraph]

Hoje, em terceiro lugar em algumas pesquisas de intenção de votos, Taques corre o risco de sequer figurar no segundo turno da eleição. Para Augusto Nunes, essa pode ter sido uma “breve e enganosa” carreira política. 

Confira:

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.