Augusto Nunes: juíza Selma tornou-se a Dilma pantaneira

O conjunto de trapalhadas que caracterizaram a sua campanha mostraram a sua semelhança com a ex-presidente

(Foto: Montagem/O Livre)

A sequência de erros e as falas desastrosas da juíza aposentada Selma Arruda (PSL) ao longo da campanha para o Senado deixou claro aos eleitores com quem ela se parece. Mesmo se esforçando para estar sempre ao lado do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), ela tornou-se uma espécie de Dilma Rousseff pantaneira. 

[related_news ids=”102531,103133″][/related_news]

“As trapalhadas que cometeu durante a campanha transformaram a juíza Selma Arruda num dos grandes destaques negativos desta temporada eleitoral”, disse o jornalista e colunista do LIVRE Augusto Nunes. 

Em coluna em vídeo, ele destacou algumas das situações nas quais ela se envolveu: pediu votos ao candidato do PSOLque abrigou o homem que esfaqueou Bolsonaro -, se viu envolvida num possível escândalo de Caixa 2, disparou contra funcionários públicos, para enumerar alguns. 

Dessa forma, a imagem inicial, de uma pessoa totalmente contrária à corrupção e ligada ao partido de Bolsonaro, foi se desfazendo. 

Confira o vídeo na íntegra: 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“Bolsolitro”: festa open bar em apoio a Bolsonaro é barrada pela Justiça Eleitoral
Próximo artigoProfessores fazem passeata