Auditoria em um contrato

Após prisão de adjunto, CGE vai auditar apenas um contrato com empresa que teria pagado propina

(Foto: Reprodução)
O secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, determinou a suspensão dos pagamentos para um contrato do Governo de Mato Grosso com a TMF Construções e Serviços Eireli,  alvo de uma investigação do Ministério Público Estadual.
A decisão vem quatro dias após a prisão em flagrante do então secretário-adjunto da Casa Civil, Wanderson Nunes Nogueira, na semana passada, com R$ 20 mil supostamente recebidos dessa empresa.

“Os pagamentos ficarão suspensos até que seja concluída a auditoria que será realizada pela Controladoria Geral do Estado. Somente após o resultado é que o secretário deverá tomar uma decisão definitiva sobre o caso”, informou a Secom.

A empresa TMF Construções e Serviços Eireli, porém, já recebeu mais de R$ 5,5 milhões do governo de Mato Grosso, de fevereiro a setembro deste ano. Planilha de pagamentos à qual o LIVRE teve acesso mostra que a empresa recebeu transferência mínima mensal de R$ 110 mil nos últimos oito meses. 

Os contratos foram assinados com ao menos sete secretarias. Apenas um, da Casa Civil, foi suspenso.

LEIA TAMBÉM

Propina para adjunto: empresa já recebeu R$ 5,5 milhões do governo de MT em 2020

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSem risco para Carvalho
Próximo artigoIncêndios no Pantanal: fogo se concentra em áreas de difícil acesso