Início Cidades Atendimento médico na rede pública? Saiba onde ir, de acordo com a...

Atendimento médico na rede pública? Saiba onde ir, de acordo com a demanda

Rede primária é a porta de entrada para o sistema e secundária assiste aos casos de urgência e emergência

A UPA Morada do Ouro foi a primeira a ser criada (Foto: Natália Araújo / O LIVRE)

O surto de gripe que atingiu Cuiabá no último mês sobrecarregou algumas unidades de saúde. Isso porque muitas pessoas buscavam atendimento em determinados locais, quando, na verdade, deveriam ir a outros.

A equipe de Planejamento da Secretaria Municipal de Saúde explica que a rede pública é dividida em níveis de atenção, começando pela atenção primária que é a básica. É ali a porta de entrada do sistema de saúde: na Unidade Básica de Saúde.

“É aquela que está perto do cidadão, onde ele tem que ir primeiro, a orientação é para as equipes se fixarem a esses pacientes”, explica Nilva Maria Fernandes de Campos, assessora de planejamento.

Nas UBS existem as equipes do Programa da Saúde da Família (PSF) e ali é possível fazer o monitoramento da saúde do cidadão, realizar consultas, exames, tomar vacinas.

A orientação, frisa Campos, é para a visita, ao menos uma vez ao ano, ali no posto, onde ficará gravado o histórico médico do cidadão.

Centro de Saúde do Grande Terceiro é uma das unidades de porta de entrada no sistema de saúde (Foto: Natália Araújo / O LIVRE)

Em Cuiabá, existem 65 UBS, divididas por região da cidade, porém, a cobertura não atinge 100% do município.

Nessas unidades estão distribuídas 106 equipes de saúde da família e cada grupo atende 4 mil pessoas. A rede conta ainda com nove equipes de atenção primária, 45 de saúde bucal, seis do programa “Melhor em casa”, duas do consultório na rua e dois Centros de Referência para Covid-19: o Ana Poupina e o Grande Terceiro.

O nível secundário

Já o nível secundário, ou seja, as policlínicas e Unidades de Pronto Atendimento (UPA), é o responsável por atender as demandas de urgência e emergência. O município conta com quatro policlínicas, no Coxipó, Planalto, Verdão e Pedra 90. Já as UPAs estão nos bairros Pascoal Ramos, Verdão e Morada do Ouro.

Campos lembra ainda que alguns serviços, como exames mais complexos, precisam ser regulados.

A Policlínica do Planalto é uma das unidades do nível secundário de atendimento (Foto: Natália Araújo / O LIVRE)

O técnico da assessoria de planejamento, o enfermeiro Willians Blank, explica que a urgência é um evento súbito que, sem intervenção, traz risco de morte à pessoa. Nos casos de emergência esse risco já existe.

“Um exemplo de urgência, o paciente apresenta cólica renal intensa, é algo que acontece do nada e pode parar sozinha ou evoluir para um problema mais sério como a falência renal, entupimento do ureter, complicações que trarão o risco de morte”, esclarece Blank.

“Para emergência tem outra situação, a pessoa está sangrando muito por conta de um corte. É preciso cessar esse sangramento para evitar um choque hipovolêmico e consequentemente a morte”, complementa.

Nas unidades do nível secundário os pacientes passam por uma triagem, onde, por meio do Protocolo de Manchester, classifica o paciente por cores. A avaliação leva em consideração o quadro clínico do paciente.

A UPA Verdão foi inaugurada no início da pandemia, em abril de 2020 (Foto: Natália Araújo / O LIVRE)

A pulseira azul é para o caso sem urgência, já o verde é um pouco urgente, mas ainda pode esperar. Amarelo e laranja são urgente e muito urgente, respectivamente. A cor vermelha representa emergência.

Os casos mais complexos que precisam de internação são encaminhados aos hospitais, na atenção terciária.

E se for gripe?

Onde procurar ajuda em Cuiabá quando for situação de gripe? (Foto: Freepik)

A equipe de planejamento esclarece que as síndromes gripais se apresentam de duas formas: simples sem complicações, e as agudas graves que é quando têm uma complicação respiratória.

“A covid-19 faz isso, a Influenza também, de trazerem complicações. A preocupação é porque estamos tendo muitos casos ao mesmo tempo”, comenta Blanks.

O enfermeiro frisa que aqueles pacientes que não tiverem comorbidades e apresentarem sintomas leves, caso queiram ou necessitem de atendimento médico para conseguir um atestado para se manter isolado, a orientação é ir até uma Unidade Básica.

Caso apresente sintomas mais graves, como falta de ar, aí o direcionamento é para a Policlínica ou UPA.

Conselho Gestor

Campos explica que cada unidade de saúde conta com um Conselho Gestor ligado ao Conselho Municipal de Saúde. O pedido é para que as pessoas integrem o grupo e apresentem as demandas existentes.

LEIA TAMBÉM

CME: qual a função do órgão da rede da educação?

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui