“As forças que nos trouxeram até aqui não são as mesmas que nos levarão para o futuro”, diz Taques

Governador anunciou pré-candidatura a reeleição e citou perda de aliados ao longo da gestão

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

O governador Pedro Taques (PSDB) anunciou sua pré-candidatura à reeleição na tarde desta terça-feira (24) admitindo que perdeu muitos aliados ao longo do seu governo. Ao lado dos pré-candidatos ao Senado da sua chapa, o deputado federal Nilson Leitão (PSDB) e a juíza aposentada Selma Arruda (PSL), o tucano destacou que haverá mudanças na coligação que o elegeu em 2014, quando tinha ao seu lado 13 partidos.

“Eu não tenho medo do meu passado. Por isso, eu não temo meu futuro. As forças que nos trouxeram até aqui não são as mesmas forças que nos levarão para o futuro”, declarou o tucano. “Por isso eu quero, se for a vontade de Deus e do povo de Mato Grosso, continuar a bem governar este Estado”, completou.

Ele usou metáforas para falar dos dissidentes do seu governo – entre eles, o provável adversário Mauro Mendes (DEM). “Numa navegação, ao atravessar o mar, muitas pessoas ficam para trás, muitas abandonam o barco, muitas são esquecidas, muitas são injustiçadas, muitas abandonam o projeto por não mais acreditarem no projeto”, disse.

“E também existem traidores. Aliás, a política adora a traição, mas abomina, odeia os traidores”, completou, repetindo a frase que já havia usado nas eleições de 2012 para se referir a Mendes. Nesta manhã, Mendes também confirmou a pré-candidatura a governador, tecendo críticas à gestão do ex-aliado.

“Enquanto alguns querem pregar o caos, enquanto alguns fazem o diabo para chegar ao poder, aqui estamos pregando a união, a esperança”, disse. “As forças que estão se formando de outros lados, a escuridão que muitas vezes se forma… E temos à frente a esperança”, completou.

Taques aproveitou a oportunidade para prometer lealdade à nova companheira de chapa. “Para nós é uma alegria ter a juíza Selma. A senhora terá minha lealdade, compromisso e companheirismo, para continuarmos juntos as mudanças necessárias a Mato Grosso”, disse.

A aliança com o PSL de Selma foi sacramentada no domingo (22), depois de o deputado federal Adilton Sachetti (PRB) decidir continuar na aliança de Mendes. Sachetti busca uma vaga de candidato a senador.

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSem mal-estar, é só cirurgia
Próximo artigoCabral é enviado para cela de isolamento em Bangu 8