Argentina, Colômbia, Chile e Peru suspendem voos com o Reino Unido

Medida é para conter o avanço da nova variante do coronavírus

LMV/IOC/Fiocruz

A Argentina, Colômbia, o Chile e Peru decidiram fechar as suas fronteiras aéreas com o Reino Unido devido ao avanço da nova variante do coronavírus, sendo os primeiros países da América Latina a seguir o alerta europeu.As medidas entram em vigor hoje (21) na Argentina, na Colômbia e no Peru, e na terça-feira (22) no Chile.

“O Governo Nacional decidiu a suspensão preventiva das entradas e das saídas dos voos com a Grã-Bretanha, à raiz da situação epidemiológica que esse país registra, após declarar a aparição de uma nova estirpe de covid-19”, anunciou a Presidência da Argentina em nota.

A exceção, esclarece o executivo, é o voo 245 da companhia British Airways, previsto para chegar a Buenos Aires às 09:02 de hoje (12:02 em Lisboa). O voo já estava em pleno processo operacional em Londres quando a decisão argentina foi anunciada, de madrugada.

“Os passageiros e a tripulação deverão cumprir uma quarentena de sete dias, depois de atenderem aos requisitos exigidos para a entrada no país: um exame de PCR negativo e uma cobertura médica contra covid”, destaca a nota.

Para a quarentena, o governo argentino montou uma operação especial para controlar a chegada dos passageiros e da tripulação do voo, assim como a deslocação aos lugares onde ficarão isolados.

“O Departamento Nacional de Migrações avisará as jurisdições nas quais passageiros e tripulantes ficarão para o estrito controle do isolamento obrigatório”, explica.

A cidade de Buenos Aires, depois de meses em queda de contágios, voltou a registrar um ligeiro aumento que, segundo as autoridades, não significa uma nova curva de contágios.

Para o anúncio de suspensão dos voos da Colômbia com o Reino Unido, o próprio presidente, Iván Duque, falou à população e foi ainda mais abrangente do que a Argentina: qualquer passageiro que tenha estado no Reino Unido e que tenha entrado na Colômbia nos últimos oito dias ficará em isolamento por duas semanas.

“Essas pessoas serão notificadas, a partir da informação migratória que possuímos. Peço-lhes que, ao receberem esta informação, entendam a importância de ficar em isolamento por 14 dias”, frisou o presidente, acrescentando que aqueles que tenham estado no Reino Unido até entre nove e 14 dias serão contactados para um seguimento sobre algum sintoma.

“Essas medidas são uma prevenção. Não são para gerar nem pânico nem uma preocupação”, insistiu Iván Duque.

O Chile também anunciou a suspensão dos voos diretos, mas a partir desta terça-feira (22). Além disso, qualquer estrangeiro não residente que tenha estado no Reino Unido nas últimas duas semanas será proibido de entrar no país, venha o voo de onde vier.

Aqueles que já entraram no Chile, mas que estiveram no Reino Unido nas últimas duas semanas, serão obrigados a cumprir uma quarentena de 14 dias.

O Chile vivia uma contínua queda de contágios até que um novo aumento de casos foi detectado há duas semanas, quando a região metropolitana de Santiago voltou à quarentena durante os fins de semana.

O Peru também fechou a fronteira aérea com o Reino Unido. “Como medida preventiva, não autorizaremos voos diretos ou com escala no Reino Unido até novo aviso”, informou o Ministério dos Transportes e Comunicações.

O Peru tinha restabelecido a chegada de voos originários da Europa em 15 de dezembro, mas nenhum procedente do Reino Unido, sublinhou o governo peruano.

As autoridades britânicas alertaram a Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a descoberta da nova variante do SARS-CoV-2, que é mais facilmente transmissível, embora não haja provas de que seja mais letal ou que possa ter impacto na eficácia das vacinas desenvolvidas.

Os 27 países da União Europeia (UE) reúnem-se hoje (21), ao mais alto nível político, para coordenar respostas à nova variante do SARS-CoV-2 descoberta no Reino Unido, numa reunião de emergência convocada pela presidência alemã do Conselho.

Da reunião deverá resultar uma abordagem coordenada à nova variante do coronavírus que provoca a covid-19, numa altura em que os Estados-membros equacionam medidas como a suspensão de viagens com o Reino Unido ou a introdução da obrigatoriedade de realização de testes para quem chega do país.

Alguns países já anunciaram medidas, entre os quais Portugal, que decretou, a partir de hoje (21), restrições à entrada de passageiros de voos provenientes do Reino Unido, permitindo apenas a entrada de cidadãos nacionais ou legalmente residentes no país.

Outros Estados-membros como Alemanha, Holanda, Bélgica, Itália, Áustria, França e Bulgária adotaram medidas restritivas semelhantes, como a suspensão de viagens aéreas ou ferroviárias.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPolícia do Rio apreendeu média de uma arma por hora na última década
Próximo artigoToque de recolher no Natal