Após protestos de pais, aulas em creche estadual voltam à normalidade

Atividades da creche ficaram paralisadas por oito dias, por conta da greve dos profissionais da educação

Imagem Ilustrativa (Foto: Seduc)

Após protestos dos pais, profissionais da educação da Creche Estadual Maria Eunice Duarte de Barros, localizada no Centro Político Administrativo em Cuiabá, voltaram ao trabalho. Nesta quarta-feira (12),  286 crianças de 2 a 5 anos, incluindo alunos especiais, retornaram às salas de aula da unidade.

As atividades da creche ficaram paralisadas por oito dias, por conta da greve dos profissionais da educação. A decisão de voltar aos trabalhos e pôr fim à paralisação ocorreu na terça-feira (11), após assembleia interna entre os servidores da unidade.

A creche voltou a funcionar com todas as atividades, inclusive com a alimentação para as crianças. A Creche Maria Eunice é conhecida pela sua qualidade de ensino, o que resulta numa grande procura no início do ano e, por consequência, uma grande participação dos pais, que agora e estão aliviados com o retorno das atividades.

É o caso de Débora Fernanda Monteiro Barros que tem dois filhos matriculados – um de um ano e outro de quatro anos. Para a mãe, o retorno é fruto de uma luta dos pais. “Acho que os professores entenderam a necessidade dos pais terem os filhos estudando. Isso que é importante. Agora com as atividades normais tudo está mais tranquilo, tanto para os pais como para as crianças”, comemora.

Mãe de um menino de 5 anos, Taisler Carina Soares Nolasco também festejou o retorno. Ela ressalta que em seis anos em que o filho está na instituição é a primeira vez que parou por conta de uma greve. “Para mim, como mãe e também para todas as outras, o retorno das aulas é uma vitória”, observa.

A funcionária pública Magda Matos também se mostrou feliz com o retorno das aulas.  Ela assinala que sempre os apoiou em suas decisões.  “Sou contra a greve, mas estou ao lado daqueles que olham meus maiores tesouros, as pessoas mais importantes da minha vida, que são meus filhos”, assegura.

(Com assessoria)

LEIA TAMBÉM:

Contrários à greve, professores e pais de alunos procuram Governo

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPaís tem de agir para evitar indústria de hackers, diz ministro
Próximo artigoJustiça determina que 90% da frota de ônibus seja mantida nesta sexta-feira