Após coma e cirurgias, única sobrevivente de triplo atropelamento recebe alta

Menina de 21 anos foi atropelada em frente a uma boate quando atravessava com amigos

“Agradeço as orações e o carinho de todos”, escreveu Leandro Girotto ao avisar, pelas redes sociais, que sua irmã, Hya Girotto, de 21 anos, recebeu alta e se recupera em ccasa. Ela é a única sobrevivente de um atropelamento que matou dois de seus amigos na saída de uma boate, em Cuiabá, e passou dias em coma, sendo, depois, submetida a diversas cirurgias.

Segundo Leandro, a irmã recebeu alta na noite dessa segunda-feira (14), e vai continuar o tratamento médico em casa. A menina, que é acompanhada por médicos cardiologistas e vasculares, vai continuar fazendo exames nos próximos meses. Apesar disso, tem o quadro considerado estável.

O recado sobre a atualização no estado de saúde da irmã foi acompanhado por um agradecimento. Pela mensagem, também entende-se que Hya já foi informada sobre a morte dos amigos.

No Instagram, Leandro escreveu: “Nossa menina está em casa se recuperando e processando todo o ocorrido ainda. Agradeço as orações e o carinho de todos, e peço que continuem orando por ela. Logo ela estará recebendo visitas”.

De acordo com as últimas informações divulgadas pela família, Hya já vinha se recuperando do acidente em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Geral Universitário (HGU), para onde foi transferida dias depois do caso. Ela era monitorada e já conversava com a família. No entanto, não se lembrava do acidente. A jovem também passou por cirurgia para colocar uma placa no ombro.

O caso

O atropelamento aconteceu na madrugada do dia 23 de dezembro, quando ela e seus amigos, Ramon e Myllena, já iam embora. Por volta das 6 horas da manhã, Rafaela Screnci Ribeiro descia em seu veículo, em alta velocidade, pela avenida Isaac Póvoas, quando acertou o trio. Ela foi presa e, nesta segunda-feira (14), teve aumento na fiança, estipulada pela Justiça em R$ 28 mil, atendendo a um pedido do Ministério Público. À época do caso, ela pagou fiança de pouco mais de R$ 9 mil.

No dia do acidente, o LIVRE conversou com uma testemunha, que ficou muito abalada com o acontecido. Ela não conhecia os jovens que foram vitimados, mas contou como tudo aconteceu. Um vídeo mostra o grupo com outros amigos na porta da boate momentos antes do atropelamento. As imagens também captaram o acidente.

Devido ao impacto da batida, Myllena de Lacerda Inocêncio, de 22 anos, morreu poucas horas depois. Já Ramon Viveiros, de 25, chegou a ser socorrido e foi transferido para um hospital particular. Ele passou por uma cirurgia e se recuperava bem, até que teve uma complicação e morreu.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAdolescente de 13 anos é detida por roubo de carro em Sinop
Próximo artigoFórum Agro MT apresenta impactos com a nova proposta do Fethab

O LIVRE ADS